22 de Maio de 2017

No 13 de maio papal:

- Achas que o tetra vitoriano teve mão dos 3 pastorinhos?

- Milagre seria ter sido o jesus ou o espírito santo.

Romeiro era aquele que procurava chegar à capital do império, roma

Caminheiro era o que se metia a caminho de santiago

Peregrino é atualmente o que percorre as estradas até ao santuário

Salvador foi o que levou a pátria até à eurovisão

Depois de uma romaria de 48 anos, montado numa ideia peregrina: através do latim da irmã, dar voz a uma melodia, ao nível do Imagine do john lennon.

A “estrangeirada” sempre tentou perceber o fado, do latim Fatum, o nosso destino. Desta vez pensa que conseguiu, pois estava lá toda a ladainha: sentimento, gestos, a candura do rapaz e até a melodia da mana, tudo em modo genial. Mas também existe em pimba, para o estudante bêbado, ou cábula, o ginásio e o adivinho.

Deixando para o betetistas, os peregrinos (do latim per agros = pelos campos), e as romarias para os domingos de manha na palmeira, os treinos, nas tardes pós laboral, sempre exigiram parcerias:

 

Se um dia alguém

Telefonar para mim

Diz que parti,

Fui andar, antes de ti, não resisti,

cansado e de tanto esperar

 

Porém, eu estava adiantado,

e tu atrasado,

mas nenhum o fez por mal.

Pensei, talvez não apareças,

ou talvez tu te esqueças,

ao saíres do quintal

 

Pois bem, vê mas é se cresces

caso tu regresses,

ou te ponhas a mexer.

Bem sei, que quem anda sozinho

e vai devagarinho,

pode passar sem sofrer

 

Nem sei que_horas são,

nem penso saber

Não sinto ilusão,

mas_se tiver, que ser…

Nem, faças planos,

deixa, pa-ra depois                                  

Noutra_ocasião,

andaremos os dois.

publicado por Ubicikrista às 02:03

04 de Maio de 2017

Está quase a começar mais um Giro. E ninguém (os média)

dá sinais de vida. Este ano é apenas o nº 100.

    *   4 dias antes do inicio os organizadores resolveram acender o lume com publicidade grátis.

Pela 1ª vez é instituído o prémio Strava (perdão, patrocínio Pirelli) para os 5 que descem melhor em cada um dos segmentos destas 10 etapas: Monte Sant'Angelo (8ª), Chieti (9ª), Monte Fumaiolo (11ª), Colle di Casaglia (12ª), Selvino (15ª), Passo dello Stelvio (16ª), Passo del Tonale (17ª), Passo Pordoi (18ª), Sella Chianzutan (19ª) e Monte Grappa (20ª).

Traduzindo em euros: 5 mil para o vencedor, 500 por cada etapa

    *   3 dias antes apagaram o fogo que atearam, com um comunicado, depois das manifestações nas redes sociais:

"… os organizadores da corrida decidiram eliminar a classificação e o premio monetário dos seus regulamentos, mantendo os tempos das descidas apenas como pura informação estatística para os aficionados".

   *    Mais lenha:

Também há sprintes na discussão das etapas e nem todos se aventuram

Também há metas volantes e não é para todos

E há sprintes intermédios...

E há a malta da pesada que a subir têm medo de rebentar por não ser a sua especialidade

Também não sãos os lideres que habitualmente se atiram por ali abaixo, mas os que precisam de dar a cara ao vento nas retas e quase sempre se atrasam nas subidas

PS: mais dados estatísticos:

Contador precisava de mais um motivo para não chegar a horas

Froome foi o ciclista que menos kms fez de bicicleta no Tour do ano passado

publicado por Ubicikrista às 22:14

15 de Fevereiro de 2017

Que gaita de piano

A manterem-se estes ares matinais vamos continuar a sofrer dos malefícios do mesmo:

 

Tenho uma bicicleta, nova demais

Mas só ando nela, s’encaixar os pés, nos pedais

Antes de Patalim, tenho que fazer xixi

Não sei bem porquê, se nem água bebi

Baixo as alças, que têm as calças

Vejo um ursinho, olhar pra mim

(instrumental)

Fiquei sem saber, se só uma mão me chega

O gajo teima, em se encolher

Espero que não me dê uma, nega

Lá me atrevo a ver, tinha cara de enrugado

Mas pelo que percebi, aquilo é pra sempre

Oh não, que desilusão

E deixei-o escapar, por entre os dedos

Larguei-lhe uns pedos

Juro que nunca mais o vou olhar

Se juntar-mos aqui o filho do paulo de carvalho a agir, a coisa ajeita-se:

publicado por Ubicikrista às 01:52

01 de Fevereiro de 2017

Que gaita de piano

... Já a partir de amanhã as voltas matinais de Domingo passam para
as 9 h e a ter como ponto de encontro a Palmeira (Portas da Lagoa) ...
A fazer fé no comunicado emitido esta semana pelo CCE, lá vamos nós ter que alterar a letra de uma realidade que se aguentava já há alguns anos:
Os rapazes das garagens

já não vão para a palmeira

Preferem outras paragens

num ritmo à sua maneira

Depois da malta agrupada

a caminho da Vendinha

Se o vento não lhe agrada

alguns vão pra Igrejinha ...

Isto só podia ser musicado com conteudo infantil popularizado:

publicado por Ubicikrista às 14:45

04 de Dezembro de 2016

Que gaita de piano

No pedido de varios sócios presentes pós a ultima assembelia geral, ficou assente:

     *   Aproveitar a musica de um hino

     *   Criar um letra

     *   Desde logo excluiu-se o hino nacional

     *   A marcha da marinha (hino dos marinheiros) não foi mal recebida de imediato por alguns (1)

Como contribuição inicial trás-se à baila (aceitam-se alterações à letra - à musica também, desde que se encontre a pauta musical) o seguinte:

To-da a vi-da quis ser a-sso-ci-ado

deste clube que é_o

C C E

E_agora é que é

que vou ser

novo sócio do

C C E

quero estar, a-qui

estou bem, a-qui

a-qui sou C, C E

ah, ah, ah, ah, ah, ah, ah

(eh, eh, eh, eh, eh, eh, eh - proposta do Roos)

publicado por Ubicikrista às 18:30

15 de Julho de 2016

Um peru com menos de 18 anos, à porta de uma

discoteca, só pode ser um prumenor

carlos de andrés e pedro delgado sempre foram a parelha de apresentador/comentador da tve, tipo j p mendonça / m chagas (rtp) ou l piçarra / p martins (eurosport)

Há anos que não ouvia a dupla espanhola agora noutro canal (teledeporte)

O fanatismo (adepto de um ciclista qualquer, ia a dizer froomnatismo ou quintanismo)) não os deixou pensar, diziam que não estava previsto no regulamento, o convidado (aimar zubeldia), antigo ciclista basco, ainda alvitrou a solução, mas foi imediatamente abafada pelo apresentador do programa. Nunca viram tal na sua vida, etc.

Que triste serviço prestado ao ciclismo pelos 2 piruns.

Mentira. Dias antes caiu em cima do que seria agora o novo camisola amarela (Yates), um pórtico insuflável que lhe fizera perder tempo (7 segundos) mas que a organização decidiu devolver-lhe, considerando a causa não imputável ao ciclista

A eurosport aceitava qualquer decisão, enquanto na nossa rtp, m chagas só perguntava vezes repetidas: o que é que aconteceu à bicicleta? E ele próprio respondia: ai ai ai, ai ai ai

A emissão do país vizinho ficou 45 min à espera da decisão dos juízes, porque se dera uma queda de 3 ciclistas que chocaram com a moto da televisão, no ultimo km do mont ventoux. Dois levantaram-se e prosseguiram, mas um não tinha bicicleta para o fazer porque uma outra mota lhe passou por cima (da bicicleta não dele). Prosseguiu a pé 100 metros, até lhe darem uma neutra com pedaleiro e pedais de encaixe diferentes do seus, antes da chegada do carro de apoio que lutava para conseguir furar a multidão. Perdeu, nestes preparos, mais de 1 minuto para os 2 companheiros de queda.

E lá veio a ordem dos descendentes de salomão (o tal da ideia de abrir a criança ao meio): os juízes decidiram aplicar o artigo 2.2.29 que reconhece que "em caso de acidente ou incidente que possa afetar ou falsear o decurso normal da prova em geral ou de uma etapa em particular". Em vez de aplicar o artigo 14. Polémico para uns, vergonhoso par outros? Vergonhoso teria sido qualquer outra decisão, dirão os sensatos. A decisão do juiz da uci parece ter salvo (agora diz-se salvado, desculpa lá filipe) a dignidade da organização do tour.

Bastava a moto não ter destruído a bicicleta e já não era preciso utilizar o regulamento. Ninguém pode competir na canoagem se não tiver canoa. Ninguém pode competir no futebol se não tiver bola (esta é só para os pró-barcelona)

Ponto de ordem:

Um ciclista pode afastar-se (xixi, cócó, truca truca, abastecimento, queda) ou correr a pé com ou sem bicicleta. Não pode é terminar uma etapa (linha de meta) sem uma bicicleta e de preferência montado para evitar sanções, (a menos que esteja incapacitada).

Organização

  • Quem abre caminho para os ciclistas tem que ser a mota da policia e não da TV
  • Reduziram a montanha em 6 kms, num 14 de julho feriado nacional, o público aglomerou-se no pouco espaço que sobrou. O excesso de gente tinha que ficar nalgum lado pois os últimos 500 metros vedados estava atafulhado de pessoas. Vedação pelo menos no ultimo km
  • Os regulamentos existem para que ninguém possa tirar proveito de ilegalidades em determinadas situações. Quem seriam os beneficiados deste caso? Uma falha da organização não pode ser aproveitada pelos anti-desportistas

Declarações

Recorri aos amigos para ajudar a compreender melhor este caso:

  • A maria é ecologista: é crime largar lixo nos percursos, normalmente os plásticos das barritas, mas não sei se uma bicicleta partida e abandonada é considerada lixo
  • o barreiros é sócio do cantinho dos animais: abando por parte do proprietário queixa já na policia
  • O joão estuda farmacêutica: onde é que pode aprender enfermagem com a categoria das imagens em grande plano das feridas, rasgões de pele e depois os suturam e fazem curativos, em condições (andamento) muito mais precárias que certos hospitais
  • O Ferreira é amante assíduo do wattsapp na eurosport: é emocionante ver o tour na tv, sobretudo as motas e carros a derrubarem ciclistas.
  • joaquim é treinador de triatlo evolucionista: o tour é completo em termos de diversidade de provas, depois da bátega de agua dias antes, e porque já houvera boxe tinham-me dito que poderia haver vela (previa-se um vendaval), mas encurtaram o trajeto, afinal foi só atletismo.
  • O calhau é designer no mundo da moda (single speed) e da alta costura (cose boyaux): excelente o corte das camisolas moldadas ao corpo, os calções de licra e a estética daquelas pernas sem pelos e sem gordura. É pena serem adquiridas no mercado mensal do rossio a avaliar pelas imagens em grande plano a toda a hora onde se vê os defeitos: rotas (tal como as gangas), sujas, com enormes buracos ou descosidas, por cauda das motas.
  • O daniel é gestor: s€ cai qu€ s€ l€vant€ but l€ tour d€ franc€ €s un€ fars€.
  • O jacinto analista de cenas de terror: “calmamente uma mota ataca pela frente, travando, enquanto outra ataca por detrás destruindo a bicicleta.”

Ultima questão: se é perigoso as pessoas do publico correrem no meio dos ciclistas, pois podem tropeçar e derrubá-los. Deveriam aplicar-lhes multas ou prisão, conforme o caos provocado. A organização podia começar pelo froome que andou a correr no meio deles.

Até porque já tinha antecedentes para lhe aplicarem o brexit no tour quando limpou o cotovelo à cara de uma pessoa do publico para demonstrar a sua solidariedade ao nacionalismo (compatriotas seus aviavam russos e franceses nas ruas e imediações dos campos de futebol durante o euro). Molhou a sopa, sem descer da bicicleta, num colombiano durante uma etapa. Penalização demasiado excessiva dirão (a UCI aplicou-lhe uma sanção de 200 francos suíços - uns 180 euros). Afinal tratava-se também de um não europeu e como se sabe os colombianos (tal como agora os ingleses) são considerados extracomunitários.

Uma coisa é certa, a descer, nas retas e nas subidas (só falta deixa-lo para trás no abastecimento) a única maneira do quintana o seguir parece ser nas redes sociais (strava, twitter).

PS: faltava ouvir o Aleixo: identifico-me com o NQ é o tipo de corredor que faz baixar as audiências, com a sua postura de chupa-rodas.

publicado por Ubicikrista às 16:43

10 de Maio de 2016

FICÇÃO

Todos os anos por esta altura as câmaras municipais mandam

 limpar as ervas na beira das estradas por onde circulamos

Zé Katheter não gostava só de andar por estradas boas, sentia-se na obrigação, durante os seus passeios de bicicleta, de visitar amigos e familiares que viviam nos recônditos mais inóspitos. Quando demorava algum tempo a voltar a esses lugares verificava que com o passar dos anos as ervas daninhas e os galhos caídos das árvores iam estreitando essas estradas secundarias. Não havia grande problemas quando ia sozinho ou com um ou dois companheiros, lá se iam desviando dos escombros e passavam. O pior é quando levava com ele um grupo de ciclistas e não cabiam, no que já pareciam veredas, todos ao mesmo tempo, originando travagens, apertos e engarrafamentos, e os eminentes bloqueios na circulação com as bicicletas engalfinhadas na via.

O grupo deu sinais de mal estar quando começou a sentir na pele o incomodo das quedas e das esfoladelas, no corpo e nas bicicletas, e queixou-se ao administrador das estradas pela incúria de deixar obstruir as vias, que ponderou para si duas estratégias: ignorava a queixa e deixava a estrada morrer aos poucos bem como todas as aldeias envolventes, e quando esta ficasse quase totalmente coberta de vegetação mandaria então fazer uma ponte que passasse por cima daquela estrada obstruída e ligasse a uma com fluidez na circulação mais à frente. Era dispendiosa e tardia, um recurso para quando já nada mais há a fazer por uma zona morta e intransitável, segundo opinião de consultores a quem recorreu.

A outra solução a ser feita de imediato, antes que o problema se agudize, foi mandar alargar os locais onde a estrada mais se estreita por força da vegetação e colocar lá um cilindro de alvenaria na horizontal, que impede que a vegetação entre na estrada. E bastaram 3 ou 4 manilhas para que a estrada voltasse a ver fluir o transito normalmente.

O administrador prometeu a si mesmo aderir de imediato (para toda a vida) a um plano de limpeza e manutenção de todas as sua vias para poder voltar a andar de bicicleta. Saudemo-lo.

publicado por Ubicikrista às 02:10

28 de Abril de 2016

CARISMA

Preparar um granfondo não deve ser coisa fácil pois requer pelo menos andamento. Mas quando 2 semanas antes se interrompe um treino planeado para ajudar um velhinho a travessar a rua, só mostra a humildade da pessoa. Deve ser o equivalente a planeares um Kom e sabes que levas andamento para o bateres, mas a meio paras e largas o grupo, para fazeres companhia a um ciclista que vai para aí a 15 à hora nas retas e quando ainda faltam 40 km para a cidade, e o resto do treino que podia ser feito numa hora passa a demorar mais do dobro, só pelo prazer do bate boca. Lá se vai mais um granfondo, pensa-se. Afinal não, até dá para andar na frente 180 dos 185:

 

 

 

 

publicado por Ubicikrista às 00:50

13 de Abril de 2016

Todos conhecemos a historia dos 3 funcionários camarários: um abria o buraco, outro plantava o rebento da arvore e o terceiro tapava. Naquele dia um abria e o outro tapava-o imediatamente. Questionados por um transeunte por aquela prática:

- O nosso colega hoje faltou porque tinha uma consulta medica da caixa.

Há profissões danadas. Hoje um de nós sentiu na pele umas dessas profissões:

Uma carrinha comercial ligeira com as duas portas abertas e lá dentro 2 funcionários dos cêtêtê. Um segura um rolo de fio e o outro dá à manivela para que ele se desenrole ao longo da berma da estrada enquanto a carrinha avança a uma velocidade moderada. Na recolha do fio o mesmo cenário.

Falta um terceiro funcionário para avisar quando o rolo se acaba. E quando isso acontece o fio estica ou o rolo vazio salta das mãos do funcionário. Quando estão a recolher o fio sempre que o da manivela acelera mais que o andamento do carro o fio levanta do chão.

Um ciclista depois de fugir á nuvem negra que já salpicava os bolsos traseiros, abranda finalmente ao chegar à rotunda e desvia-se para a berma para não incomodar o transito. De repente sente a roda da frente ser puxada para o lado. A seguir só já sente a dureza do alcatrão após aterragem. Depois já sente que o braço não lhe obedece. Depois é só esperar deitado no chão ao frio que ambulância demore 40 minutos (a 5 minutos do hospital), depois é só esperar que a operação lhe recomponha a clavícula e o osso do ombro. Depois é só esperar que a porra da entidade patronal dos funcionários do fio assuma a responsabilidade do sucedido.

Depois que lhe paguem as despesas hospitalares. Depois que o indemnizem pelo tempo que está impedido de exercer a sua atividade empresarial e pelos contratos de trabalho já assumidos.

Depois futuramente que as autoridades rodoviárias verifiquem a ausência de sinalizações de que há manobras com veículos a decorrer na estrada e depois lhe apliquem as respetivas coimas pelas infrações.

Depois, depois… Onde estava o funcionário para colocar os pinos na beira da estrada a avisar que havia cabos ao longo da mesma? É que os pinos estavam lá dentro da carrinha, mas sozinhos não saltam para a estrada. Desejamos as melhoras ao funcionário ausente!

publicado por Ubicikrista às 15:36

10 de Abril de 2016

                                                                       CANTILENA

Fui á praia e achei um búzio, em cima da mesa o púzio,

a minha mãe roubou-mo, mas acho que foi um abúzio.

Carta aberta

Sr presidente:

O grupo dos presentes (desconhecendo a opinião dos ausentes) decidiu manifestar o seu repudio através deste meio pelo seu ignóbil comportamento

Tudo porque na altura dos discursos (almoço) decidiu intervir com a sua presença em holograma e como dispõe dos meios tecnológicos adequados (os média) fê-lo através, não das redes sociais, mas de um vulgar televisor. Quando todos esperávamos que fizesse referencia ao nosso feito em prol do clube eis que resolveu ignorar o facto e desviar o parlapier para uma sra qualquer que meteu a cara à frente dos punhos do marido enquanto este distraidamente treinava uns golpes de boxe. Portou-se como aquelas mães que se envergonham dos filhos num centro comercial e disfarçam entrando nas lojas dos saldos mais à mão, enquanto estes praticam o seu ritual de birra na entrada

Pois fique sabendo que não tem nada que se envergonhar do comportamento destes bravos sócios a que o sr preside como a seguir verá:

Um cavalheirismo de 5 estrelas, tirando as virgulas à moda do porto (car…..s), e umas buffitas inocentes (merendas rápidas, de pé ao balcão, em cafés à beira da estrada).

Um respeito digno pelas refeições, pese embora quase coincidirem, mas sobre a principal, o sócio dias ter feito interpelações auditivas no seio do grupo quanto ao espécime marítimo a ser sacrificado, quando o estomago lhe ralhou. Não acredito, disse! Ao que alguém aconselhou:  

- Tem muita fé João.

Uma direção deveras discreta que pela 1ª vez no clube em vez de delegar funções, empalhou

Fique sabendo que o açor é uma ave da família dos gaviões (ia a dizer falcões) cujo passatempo preferido é atirarem-se aos passarinhos e não aos ca(l)meirões como fazem as piranhas que ferram as canelas dos ciclistas sempre que estes aproximam pelo menos 15 km do mar

Anote aí que é ridículo o strava, antes de sines, ter 14 setores com distancia mínima (abaixo de ½ km). Qualquer dia alguém bate um Kom entre a chapa de matricula da frente e a de trás de um carro abandonado na estrada

E que o mário é o único que se pode queixar da idoneidade destes rapazes (rapariga incluida), uma vez que connosco demorou 5 h e fez o seu próprio regresso em 4 (13:20 --> 17:20). O que prova que mais vale só que mal-acompanhado

Para que não fique com duvidas, sobre atitude dos seus pupilos deixe-nos terminar com 2 historias:

Um colega de trabalho farto de mamar sempre do almoço do outro lá sugeriu, para disfarçar os sistemáticos abusos de forretice, que no dia seguinte seria ele a trazer umas sopas de cação. Mesa posta, pão migado e caldo entornado por cima, pergunta então: Atão e o cação?

- Ah o cação comi-o ontem!

Tá a ver? O convite era só para umas sopas de cação.

A outra é que aqui há anos um motorista da caixa procurava atalhar em lisboa, com a carrinha a abarrotar de jogadores que iam dando indicações para se chegar ao campo de futebol do adversário. Calma estamos na minha zona, onde nasci. Mais uns metros e eis-nos enfiados num beco. Tão, afinal….?

- Epá, no meu tempo esta casa não estava aí à frente.

Tá ver? E logo uma moradia em ruinas com mais de 200 anos

E para que nunca se esqueça do que nos fez deixamo-lo com a frase mais famosa deste dia:

- Só voltamos para trás se o alcatrão se acabar

publicado por Ubicikrista às 20:27

18 de Março de 2016

Nós os ciclistas amadores andamos atrás do vento, e às vezes dos profissionais. Como publico seguidor já nos aconteceu querermos ver uma chegada, e os mariolas já tinham passado ou cortado a meta (2015), tudo porque andaram, não atrás do vento como nós, mas à frente.

Analisando o strava vemos que o mario foi na peugada dos ciclistas a reguengos. Conseguiu lá chegar 1 minuto antes. Depois de os ver passar ainda foi quase 10 minutos atrás deles, mas arrepiou caminho antes da cumeada. Fez contas na saída da rotunda para evora e partiu ao mesmo tempo que eles viravam no cruzamento da amieira para portel.

Sabendo-se que o caminho mais perto para um sitio ainda é a direito - o desvio deles era apenas da estação para as alcáçovas – mesmo assim o mário ganhou-lhes 10 minutos até montemor.

Mas já que os rapazes da alentejana pisaram terrenos nossos, independente de onde sopra o vento, analisemo-los, na perspetiva do nuno bico um ciclista do pelotão que representa a klein:

Segmento   Tempo de hoje   Nuno Bico    O nosso melhor      KOM

redondo-mont8          25.08                  19.24              mário 25.16              18.54

reguengos-amieira     24.44                  24.44              filipe 24.46               24.31

portel-viana              41.43                  38.56              filipe 38.37               33.08

oriola-viana               21.53                  17.11              mário 19.32              16.57

viana-estação            17.32                  14.11              gil 16.50                   14.03

subida escoural           5.11                     5.01              gil 5.53                      5.01

subida castelo          48 seg                 48 seg               gil 48 seg                 46 seg

 Mario reguengos.pngMario Montemor.png

publicado por Ubicikrista às 02:23

03 de Fevereiro de 2016

                                                                                                       Adivinha no barbeiro

- Quero cortar o cabelo, mas não quero o cabelo cortado

- Pode ser, sente-se

Dizia-se que era um encanto ver uma cabeça cheia de caracóis numa criança. Imaginem num adulto, sobretudo se for careca. Deve ser só patinagem artística. Pessoalmente nunca gostei do meu cabelo por ser do tipo em caracol. Nada tenho contra estes bichos - quando me os poem à frente, de preferência num prato e com uma loirinha a que possa deitar a mão. Mas quando me convidam para os apanhar, declino sempre por 2 razões: ou se escondem bem ou são demasiados rápidos para os segurar. Claro que há, embora fora de moda, outro tipo de cabelo encaracolado ou enrolado.

Não se vive só de rolos na cabeça (mentira, como se verá), também os há em modo carne. Mas quem é que se lembrou de fazer carne aos rolos? Ainda bem que nós humanos não somos como os escaravelhos senão fá-la-íamos às bolinhas.

Para meu desgosto quando vou dar uma volta de bicicleta seja às terças, quintas, domingos ou feriados costumam aparecer na frente do grupo uns fulanos viciados em rolos. Como é que estes c… (à moda porto, quer apenas dizer, virgula) têm tempo para dar azo ao vicio. Não dormem só para fazerem rolos? É o caso de qualquer carrapatoso, fernando rosado, ou pedro, seja amaral ou bilro, entre outros. É visivel que dispõem de uma rotação infernal pois nunca se cansam e a coisa nunca baixa seja a rolar ou a subir.

Fazem lembrar aqueles atores de filmes para adultos. Duvidam? São perfeitos de corpinho, todos certinhos (no que estão a fazer) e direitinhos, Ups! Eram capazes de levaram o instrumento que estão a comandar (a bicicleta claro) o tempo todo enfiado dentro do traço continuo, sem falharem um milímetro, sem dele saírem e sem esmorecerem durante o tempo que quisessem. Muito aguentam estes rapazes nestes preparos - pil(h)as duracell? Ah, e a postura claro, parece que já todos experimentaram passar pelo tal sitio do túnel do c… com vento, não confundir com convento (outrora passagem obrigatória dos padres antes de celebrarem a missa). Porra, que raiva!

publicado por Ubicikrista às 00:05

01 de Janeiro de 2016

ABC do código da estrada – IV

Na rotunda depois do aki antes de se virar à esquerda para a circunvalação:

- Calma minha sra, não está ver que tenho o braço estendido

para a esquerda, aqui por dentro não me passa.

Momentos depois.

- Não tens razão, devias tê-la deixado passar. Agora com a nova lei somos

obrigados a circular nas rotundas por fora, tal como os animais e camiões.

Para pelo menos um se calar fomos à fonte beber (desforra), presumindo que, tirando alguém da malta nova com menos de 25 anos, quem anda de bicicleta tem carta de condução.

                          Art.º 14-A, acrescentado ao código da estrada:

1 — Nas rotundas, o condutor (ciclista) deve adotar o seguinte comportamento:

a) Entrar na rotunda após ceder a passagem aos veículos que nela circulam, qualquer que seja a via por onde o façam;

b) Se pretender sair da rotunda na primeira via de saída, deve ocupar a via da direita;

c) Se pretender sair da rotunda por qualquer das outras vias de saída, só deve ocupar a via de trânsito mais à direita após passar a via de saída imediatamente anterior àquela por onde pretende sair, aproximando-se progressivamente desta e mudando de via depois de tomadas as devidas precauções;

Blá blá, vamos ao que interessa:

2 — Os condutores de veículos de tração animal ou de animais, de velocípedes e de automóveis pesados, podem ocupar a via de trânsito mais à direita, sem prejuízo do dever de facultar a saída aos condutores que circulem nos termos da alínea c) do n.º 1.

Ora aqui está, “podem ocupar” é diferente de “devem ocupar” – ou seja, quem circula de bicicleta pode escolher circular na via da direita.

Tá bem pronto não é obrigatório circular na via da direita, mas e se nos der na telha querer ir por lá? Levamos logo com a 2.ª parte deste n.º 2 em cima, que diz que devemos "facultar a saída", e isso sim já é uma obrigação, e lá se nos vai a prioridade.

Porra, assim não ganho para as travessas de andar a engatar e desengatar o pé para o pôr no chão (nem todos temos certos dotes), porque se não o fizer metem-me o carro á frente e aí não ganho para travões. Mas se forçar a passagem lá vem o sr das coimas moer-me as orelhas com esta oferta:

3 — Quem infringir o disposto nas alíneas b), c) e d) do n.º 1 e no n.º 2 é sancionado com coima de € 60 a € 300.

Neste ponto o homenzinho das leis soube o que fez, senão metiamos-nos a circular por fora (por vezes chegamos a ser 40 e tais), enquanto esperamos uns pelos outros e mais nenhum veículo entrava na rotunda. E passamos por 8 destas até à saída para viana ou reguengos.

Se por esta altura fores um condutor ainda com duvidas: Vou por dentro ou por fora, o código resolve-te a coisa definitivamente:

1- d) " ... os condutores devem utilizar a via de trânsito mais conveniente ao seu destino".

Grande ajuda não é? Lembram-se dos malucos do riso que parodiavam isto, tipo, Qual a força empregue para acionar um canhão, perguntava o sargento, antes de ler nos regulamentos: É a força necessária para que o mesmo dispare.

publicado por Ubicikrista às 02:10

18 de Novembro de 2015

Durante os descobrimentos o gajeiro dispunha

de 2 gritos: piratas ou terra à vista

O ti róbak alugava, perdão, desempenava (já lá iremos) bicicletas para se aprender a cair, perdão novamente, a pedalar ali nos limites da sra da gloria, à 50 anos por 2 tostões à hora. Era raro o que sabia andar, apenas o jaime da marisqueira, que gastava o tempo até se fartar e depois emprestava a baique, a quem o acompanha a aventurar-se. Os outros todos procuravam o equilíbrio, mas por aquele valor, só adquiriam nódas negras nas canelas, já que os pedais atrapalham e o guiador só dá jeito por ser o único varão onde uma pessoa se pode agarrar com toda a força do mundo, qual boia salvadora para quem não saber nadar, ió. Nunca se fiem de um varão, (a não ser que tenha uma lá tipa em cuecas) sobretudo o da casa de banho quando perdemos o equilíbrio durante o duche.

publicado por Ubicikrista às 01:37

08 de Novembro de 2015

Numa reunião de cooperativas de habitação social de pulgas:

- Moro num sítio giro mas no inverno rapo um frio do caraças

- Olha faz como eu, muda de cão

Anda a malta a gastar a massa em aparelhos de filmar afamados que mal chegam aos paralelos resolvem saltar dos guiadores ou começam a tremer antes de lá chegarem, só para mostrar quem vai no seu grupo. Ser filmador não é para qualquer um, tem que ter aptidões (físicas, não técnicas) para se movimentar-se entre grupos. Tudo desnecessário como se verá, depois de que o gonçalo alertou, o mario explicou e um de nós verificou.

 ver flyby.bmp

publicado por Ubicikrista às 22:36

13 de Outubro de 2015

                                            Definição

Cliente: informa-se e decide, faz da variedade da oferta uma oportunidade

Utente: utiliza o que o mandam utilizar, a sua opção não existe – é ditada

Quando é o hospital a tratar-nos da saúde na ficha de inscrição somos considerados doentes, mas se formos a uma consulta a um centro de saúde já somos pacientes.

Se precisarmos de informações de um serviço de finanças temos que estar na posse de um cartão de contribuinte, por culpa de participarmos na engorda do IRS, IUC ou IMI.

publicado por Ubicikrista às 02:01

06 de Outubro de 2015

Andamos nós aqui no concelho à procura dos dias de vento ou a escolher boas companhias, i.é., um grupo dos bons que puxe, eis que vindos sabe-se lá de onde, 300 rapazinhos (na verdade só 100 com strava), num só dia fizeram desaparecer as nossas marcas do topo dos diversos segmentos.

publicado por Ubicikrista às 19:15

29 de Setembro de 2015

No dia anterior, na hora dos dorsais, a cavaqueira descontraída destapava ambições face à pergunta sacramental:

- e amanhã como é que é?

        *     o meu sonho é terminar 2 ironman antes dos 40

        *     o meu sonho é fazer uma meia maratona

        *     o meu sonho é aprender a nadar melhor

 

publicado por Ubicikrista às 04:18

19 de Setembro de 2015

Hoje, num dos passeios habituais (a pé, a correr ou de bicicleta, não interessa) na minha orelha esquerda chegava-me o som de uma radio (local?), em que um comentador de opinião se referia à semana da mobilidade na cidade, coisa que ele era contra, não só este ano, mas porque sempre o fora nos anos anteriores. Motivo: não faz sentido haver um dia por ano da mobilidade, se no resto do ano ninguém quer saber. Não basta fingir um dia. Se alguém quer fazer alguma coisa é mover-se numa ida à mercearia (ali ao lado?) e trazer as compras num carrinho que terá que empurrar até casa, tal como ele faz (e tem um), e não pegar no automóvel ir direto às grandes superfícies e andar a arrastar-se com o carro cheio de compras. Ou levar mesmo as crianças à escola a pé ou de bicicleta, terminava.

    

publicado por Ubicikrista às 23:43

06 de Setembro de 2015

Pareceu crueldade os juízes da vuelta castigarem o sagan e

mandarem-no para casa mais cedo, por mau comportamento.

Mas o que dizer dos juízes portugueses que tiraram um preso

da prisão e também o mandaram mais cedo para casa… da ex,

e sem de lá poder sair. Isto sim é que é castigo.

Por falar em regresso a casa, agora que 8 meses depois, o templo diana voltou - ao lugar onde nunca deveria ter saído e não 500 metros mais abaixo frente ao café dos caracóis -, a ser alvo dos selfies.


publicado por Ubicikrista às 20:49

06 de Agosto de 2015

O abominável homem das neves, as bruxas, os alienígenas, os fantasmas,

os anjos e até os diabos vermelhos, tirando os do benfica, são seres

que não se detetam… à vista desarmada.

O jornal record publicou um artigo sobre a existência do doping mecânico com a ajuda de 2 senhores comissários internacionais do colégio da volta, especialistas… no invisível. Debrucemo-nos.

publicado por Ubicikrista às 01:22

26 de Julho de 2015

17 anos depois do carmo, aleixo, pedro e jacinto, mais 2 eborenses se puseram com queixinhas;

"Dois meses depois da queda que tive e lesão na clavícula, regressei este fim de semana à competição. Optei por realizar uma prova dura com 2 dias de competição, a “Sierra Nevada Limite” na modalidade – Trepador de Ouro. Não sabia o que me esperava ao certo, mas sabia que ia ser um desafio…

publicado por Ubicikrista às 01:34

02 de Julho de 2015

Aquela notícia do roubo da arte sacra distraira-o a manhã toda, mesmo na paragem em mourão para meter “gasolina”.

Não é que se interessasse particularmente pelos assuntos religiosos, mas não lhe saia da cabeça o facto do presidente do clube rival ter sido apanhado em flagrante a roubar arte sacra, alguém o fotografara a “desviar” jesus da catedral. É por estas e por outras que o papa hesita visitar Portugal em 2017, mal se inteirou que 6 milhões de portugueses deixaram de “acraditar” em jasus, desde que o atiraram aos leões. Mas a acontecer a visita, justifica-se fátima ser considerada a santa mais sexy do mundo. Já é o terceiro papa que ela faz vir cá.

publicado por Ubicikrista às 17:08

17 de Junho de 2015

Sou dessa opinião e da contrária e, se houver outra, também sou a favor

In, func. publico a passar pelos intervalos da chuva nos conflitos laborais

As competições de ciclismo deveriam ser disputadas, não por escalões etários, mas entre magros e gordos (os gordos a rolar não rendem o mesmo quando sobem. O mesmo acontece aos magricelas quando toca a sprintar em terreno plano), tal como acontece em certas corridas no automobilismo, em que os carros são todos iguais e a vitoria depende da perícia (e do peso) do condutor.

publicado por Ubicikrista às 02:15

31 de Maio de 2015

A vida de um amante de ciclismo divide-se, cada ano, em 4 estações (Eurosport, Rtp2, tvi24 e sportv):

Isto é giro, quando não há esticões no grupo

Vou já direto para casa, os tours são para turistas

Bora lá, dar só ½ volta e está feito o treino

Vamos até Badajoz e depois nos damos la vuelta

Tirando quem não gosta do trânsito, outro que não lhe apetece ser conduzido pelas velocidades de outros e um terceiro umas vezes pelas subidas e outras pelo strava ou por medo, a coisa nunca esteve tão segura (dá garantia às pessoas) como agora. É que depois do magote inicial aos domingos (terças e quintas a regra é outra: o passeio), a coisa divide-se em 3 grupos:

publicado por Ubicikrista às 21:52

13 de Maio de 2015

Há adeptos que são uns chatos. Correm ao nosso lado nas encostas mais duras das montanhas para nos aplaudir e incentivar. Às vezes o folego deles dura mais que o previsto e não largam enquanto o ciclista não lhe atira com agua do bidão ou um chega para lá com o braço.

Valverde x Chema.jpg

publicado por Ubicikrista às 23:58

03 de Maio de 2015

Há 3 tipos de ajudas mais ou menos legais para melhorar marcas:

      *    Em grupo

      *    Com vento

      *    Atrás de um carrito

Mas se este tipo de doping é permitido, o do descuido, negligencia e desconhecimento, já não.

publicado por Ubicikrista às 16:24

26 de Abril de 2015

CARISMA

Tudo na vida é como a comida, não sabemos

se é boa ou má sem experimentar

Pega-se num fulano de aspeto rosado ou de outra carateristica

Leva-lo para um caminho pouco frequentado

Num desvio arrancas à papo-seco

ClassificaçãoNomeDataVelocidadeFCPotênciaVAMTempo
manuel rosado Granginha 23 de abr de 2015 30,7km/h 124bpm 183W - 4:24
2 Jack Lafitte 23 de abr de 2015 30,5km/h - 151W -

4:25

3 Alex Silva 27 de set de 2014 29,9km/h - 266W - 4:31
4 Helder Arnaud 28 de abr de 2014 25,3km/h - - - 5:20
5 Pedro Figueiredo 29 de mar de 2014 23,8km/h - 166W - 5:40
6 Carlos Pinto 29 de mar de 2014 23,6km/h 158bpm 149W - 5:43
7 Manuel Rodrigues 4 de jan de 2015 8,7km/h - 79W - 15:29
publicado por Ubicikrista às 00:14

26 de Março de 2015

A ministra gabou-se: temos os cofres a abarrotar e

dias depois sexualizou: jovens multipliquem-se

Ai está mais um petiz.

Fruto de lacunas existenciais dos irmãos mais velhos, e ao contrário da sra, não sugere, faz mesmo: oferece comida, cama e roupa lavada.

A gestação durou meses e finalmente nasceu. Calcorreámos, em vão, as redondezas hospitalares na esperança de assistir ao parto. Mas o batizo, com data e local marcado, não nos escapou. Aos padrinhos e familiares os desejos de muitos anos de vida ao puto.

União Ciclismo Alentejo.bmp 

publicado por Ubicikrista às 02:05

02 de Março de 2015

a moda dos selfies deslocou o templo romano,

rua abaixo, para outro local de culto

Qualquer 1º ministro dirá:

       *      ah e tal não sabia que tinha dívidas, ninguém me avisou, ou

       *      não me lembro do meu chauffeur pisar o risco da fronteira

Já o gestor:

       *      não recordo ter estado na reunião que decidiu esse emprestimo

publicado por Ubicikrista às 01:22

17 de Fevereiro de 2015

FICÇÃO

Na taberna:

aposto que o meu filho é capaz de carregar com 2 fardos de palha ás costas

- não apostes pai que perdes.

mas aposto que o meu filho é capaz de comer um cabrito inteiro

- aposta pai que ganhas

Acordou e vestiu o fatinho matinal domingueiro, embora fosse um dia de semana. Hesitou entre os botins do frio ou da chuva, mas não se esqueceu do smartphome (um telefone armado em chico esperto), oferta do menino jesus, muito menos forreta que o pai natal, na semana anterior. Dias antes abrira uma conta na inter mete para poder descarregar as andanças e outra para lá em casa saberem por que estradas andava, mal o procurassem no mapa do gugali. Até esse natal sempre funcionara o:

- Onde é que andas?

strava compila.bmp

publicado por Ubicikrista às 22:45

02 de Fevereiro de 2015

Não se enriquece, quando há dividas. Para as

fazer desaparecer, só há uma maneira: pagar

Toda a gente se questiona sobre o futuro da europa agora que o syriza estatuou revoltar-se: sairá a grécia do euro? Vamos lá descobrir:

publicado por Ubicikrista às 02:04

28 de Janeiro de 2015

Os mercados financeiros deram a resposta necessária á

vitoria do Syriza: fecharam o dia sem variações

Existem as maiorias e existem as minorias. Ambas mandam. Se uma tem o poder, as minorias criam lóbis para o terem.

Na idade média (e não só) quando a pressão era muita (impostos) o povo revoltava-se. E surgiam lobos: Zé do telhado, maria da fonte, manuelino e até o ficcional robin dos bosques.

publicado por Ubicikrista às 22:42

11 de Janeiro de 2015

Prefiro sofrer todos os prejuízos dos excessos e abusos da

liberdade do que gozar as vantagens das sua restrições

marinho pinto, eurodeputado

Devemos escolher um grupo logo à saída ou embarcar com os primeiros e sermos esquecidos pelo caminho à medida que a nossa (in) capacidade vem ao de cima? Uma má decisão não é grave, mas TODOS os domingos somos postos na ordem (pelos detentores do poder - força, juventude, rolos, ligeireza).

publicado por Ubicikrista às 19:07

21 de Dezembro de 2014

Na adolescência, após o pares ou nunes, numa peladinha

entre os bairros do gancho e torregela:

- joga o xéu, o béu, má irmão e éu.

Depois de um triénio de lutas contra o seu próprio crescimento e com a mochila da crise às costas, eis que surge novo mandato para fortalecimento lombar do clube, após trunfo na campanha com o slogan de que a palha também trepa num transmontano e, ademais, hasteando como trunfo a bandeira, em que:

     *     A carrinha deixou de ser um objetivo    

     *     A sede é ali ao virar da esquina

publicado por Ubicikrista às 23:48

16 de Novembro de 2014

A 1ª grande decisão errática duma maioria foi quando pilatos perguntou ao

povo quem deveria libertar: cristo ou barrabás. E o povo escolheu o ladrão.

Morrem centenas de pessoas com o vírus do ébola e ninguém se revolta, mas eis que em Madrid matam o cão de uma dessas pessoas infetadas e ai jesus que o mundo indigna-se pelo que aconteceu ao bicho.

publicado por Ubicikrista às 23:51

19 de Outubro de 2014

Um filme de propaganda americana pós guerra fria, em que o herói

(kevin costner) morre ou anda lá perto, com um vírus tipo ébola,

mas o irmão luta ao segundo, ombro a ombro na estrada,

contra um russo de vermelho, barbas e cara de mau

O mário nas suas deambulações noturnas, e diurnas, já tinha alertado para estas tretas na página da sua cara. As latas energéticas da concorrência são mais baratas (1/3) e aquilo não dá asas coisa nenhuma, aquilo só dá energia equivalente a um abatanado. E não é que benjamin careathers, um consumidor, recebeu por decisão do tribunal de n.iorque, onde apresentou queixa contra o símbolo do taurino vermelho, perto de 10 milhões de euros, por propaganda falsa.

Mas há quem publicite mais destes anúncios de propaganda:

publicado por Ubicikrista às 14:14

04 de Outubro de 2014

Isto de te andarem constantemente a fazerem festas de homenagem de 2 em 2 anos tem que acabar. Desiludam-se, não é por te homenagearem que vais andar menos, ou que com mais uma festa de aniversário encostes de vez a bicicleta. Desistam, a única coisa que tu vais arrumar são mais alguns deles a cada domingo que passa.

Ah e tal eu admiro-te muito. Pois é verdade, ficam-te a admirar cada vez que te escapas num grupo. Qual admiração qual carapuça, eles tem é inveja de que daqui a uns tempos já não te conseguirem acompanhar.

publicado por Ubicikrista às 04:57

08 de Setembro de 2014

 PERFIL

Os ciclistas precisam de dormir, não são como as

sardinhas que só passam pelas brasas, in digo eu

A falta de emprego atrasou-lhe a vida (casamento, filhos, etecetra), porque é que ele não podia atrasar o emprego, pensou, para mais quando se ganha tanto num como noutro, com uma diferença: numa delas tens tempo para não deixares de fazer o que gostas, podes continuar a viver enquanto o estado não te expulsa do país como fazem com os repatriados (recambiados para outra pátria, a de origem). Os estados faziam isto no passado, enviavam para fora, de preferência longe, os indesejados (prisioneiros civis, militares, políticos, religiosos ou loucos). Et voilá, resultou. Foi assim que se fundou um país, os estados unidos da américa.

publicado por Ubicikrista às 21:38

05 de Setembro de 2014

abre-se aqui uma exceção momentanea para ver isto em direto porque ele é um dos nossos (além de alentejano adotado)

falta-lhe dia e meio

Recomeçou a andar à meia noite de quarta-feira com 200 km de atraso do 1º e 25 de avanço do 3º e 30 do 4º

publicado por Ubicikrista às 00:14

02 de Setembro de 2014

Entre jogadores:

Vais para o Chelsea? Não, mas não me importo que o Drogba!

Entre nós não é costume aventurarmo-nos em trocadilhos com os nomes uns dos outros ou colocar alcunhas nas comparações com ciclistas do pelotão profissional. Exceções:

  • Em tempos só por pirraça da estatura e fita na cabeça, andou connosco o espanhol Alvaro PINO
  • Depois bandeando-se aos ziguezagues a subir e florindo o jersey da Kelme ei-lo igualzinho ao Escartin
  • Segui-se o Vinokourov, mas a coisa não correu bem. A comparação era evidente devido à cor da bicicleta e do equipamento, além das parecenças capilares. Quando nos referíamos a ele usávamos o nome do ex-Astana, mas sem ele saber. Quando um se atreveu diretamente, insurgiu-se e disse que nunca mais queria que lhe chamassem tal.
  • O nome subsequente foi o “bacalhau” só porque enfardava (não o dito mas a roupa) à Ribeiralves.
  • Recentemente surgiu o duplo do Rui Costa, luzindo o arco-iris antes do rui sonhar tal, mas com a mesma simpatia, simplicidade e demonstrando não ser nenhum calhau a subir
  • Finalmente ai temos o Nairo Quintana, no modo de pedalar, do capacete e do aspeto físico sempre que se põe de pé, pronto a dar às de vila diogo quando o andamento sobe.

Nisto dos nomes Se bola uma oportunidade ele trepa bem e sem raleira nenhuma não move uma palha.

Mas se transviarmos para a Vuelta deste ano é um fartote:

O Rui tem na equipa um colega colombiano com um nome que todos os homens sonham, Winner ANACONA, que não precisa de fazer nada, por si só é já um vencedor (winner)

Na Movistar, ao pagarem os prémios, davam ao Rui cheque em branco e ao Alejandro VAL VERDE

Ao sair, novo contrato para o Rui e guia para o Alessandro DE MARCHI (ita)

O Rui de bicicleta anda mais que o Roberto de FERRARI (ita).

O “Purito” Rodrigues já não gosta de ir ao Tour mas o Rui Costa

Aviso ao mecânico do Giampaolo (ita) CARUSO, mas rodas baratas nem vê-las

Se o Jonathan FUMEAUX (sui), o Thibaut PINOT (fra), mas POZZATO (ita) só o Filippo

Há equipas que não conseguem dopar ciclistas, mas ao Hubert DUPONT (fra)

O ciclista africano (eri) lamenta-se porque o Laurens TEN DAM (ned) e ele não

Ciclismo sem racismo: o Menchov é russo, o Daniel MORENO (esp) e o Esteban RUBIO (col)

O massagista chinês defende o uso geral de spray nos ciclistas e no Dominic KLEMME (ger)

Das raras bicicletas que se riscam nas quedas só a do Francesco LASCA (ita)

O médico após uma queda: Já disse que limpo as feridas mas o Daniel NAVARRO (esp).

Este por sua vez afirmava: O braço não me dói mas ao Romain HARDY (fra)

Não quero selins duros que me dão cabo do traseiro, pediu o Damiano CU NEGO (ita)

Soubeste das quedas do Quintana? Não mas do Geoffrey SOUPE (fra)

Eu não sou dos que gostam de lhe lhe dar forte nas descidas, mas se tu HESJEDAL, Ryder (can)

Não te vi a treinar de bicicleta mas de POPOVYCH, Yaroslav (ukr)

Sempre que o australiano não está na frente do pelotão todos perguntam, Cadel EVANS?

Se todos usam capacete porquê o Lluis BONET (esp)

Sempre que entra numa fuga o Danilo WYSS (sui)

O Garmin do Froome conta a relação potencia/cadencia mas do Alberto CONTADOR (esp)

O chá de tília é bom para os ciclistas, mas o melhor é o Chad HAGA (usa)

O ciclista órfão adotou como idolos o Nikolas MAES (bel) e o Bruno PAIS (por)

Grande desilusão no inicio da volta à suíça: o Fabian CANCELLARA (sui)

PS: O BRAMBILLA (ITA) insistiu em lutar pela camisola da combatividade

publicado por Ubicikrista às 13:10

24 de Agosto de 2014

Deixou o amigo pregado no café porque tinha um encontro no hotel com 2 duas gémeas

e queria ainda passar pela farmácia por causa do comprimido azul. Tomou 2.

No outro dia à mesma hora de sempre o amigo viu-o chegar

de braço ao peito, Então conta-me correu bem?

- Ná, as moças não apareceram.

3 semanas depois da partida geral, inspeção às tropas quase sempre de quarentena:

     *     1 grupo de 20 – 10 para a competição e 10 ao cheiro
     *     outro de + 20 – 10 que não abrandam e 10 que esperam

Face a estes resultados conclui-se:

Saldo positivo, todos satisfeitos, nenhuma reclamação.

PS: não obstante as 3 quecas, perdão quedas (que as haverá sempre, tal como os furos), devidas essencialmente ao seu cariz erótico:

     *     abusar dos maus caminhos,
     *     distração ao ver curvas,
     *     sair e entrar nas bordas

ao pêpê e ao ricky a pedido do dany


publicado por Ubicikrista às 20:28

19 de Agosto de 2014

 O galego da Galiza, tem piolhos na camisa, quantos

tira quantos mata, tem piolhos na gravata. In popular

Às vezes quando a sobrecarga durante a semana nos treinos é muita, reflete-se nos domingos. Não é só nos domingos, mas também nas outras pessoas, sobretudo nas pernas. É nessa altura que dá jeito ter um ouvido por perto. Por falar nisso fica um conselho, nunca dêm ouvidos ao mike tysen, nem uma roda ao rui como fez o barredo, mas sobretudo nunca ataquem pela calada da noite - não há provas.

Nestes momentos de pousio, assumem-se atitudes como as tomodas à duas semanas atrás. Mas como nem todos gostam de bola ou politica, ao mais experiente de todos só lhe restou falar daquilo que sabe, dos meandros do ciclismo:

- Isto está lindo, andam equipas a correr quando não há dinheiro para lhe pagarem; até o premio da vitoria agora é uma garrafa de champanhe, eu que cheguei a ganhar 600 “paus” (=€) numa corrida; como não há investimento já se sabe quem se lixa, porque aparece sempre alguém que para lá do ciclismo também gosta de publicitar requintes; assim já ganharam duas e daqui a 3 anos será a altura de ir a 5ª prá lixa!

E enquanto não sai a lei que nos obrigue a termos todos os mesmos gostos, estes não se discutem, como naquela família em que a mãe, apreciadora do silencio, bem pedia ao pai para que intercedesse junto da lenita, filha de ambos, imitadora nata do programa ídolos, se calasse. Este, viciado nas picardias do ciclismo em partir grupos ao meio, incendiava mais, deitando o que sobrava do líquido quente do bidão na panela de água já de si a ferver:

- Canta Helena.

Ps: Depois do Blanco tomar o gosto a 5 voltas, agora é o Veloso, ontem foi o Marqué, e amanhã será o Délio; únicos ciclistas daquela província castelhana a correrem como profissionais

publicado por Ubicikrista às 02:12

11 de Agosto de 2014

Transportai um punhado de terra todos os

dias e fareis uma montanha, By Confúcio

Planeou a coisa discretamente. Tinha em mente um desafio que queria tentar.

Sem levantar ondas, preferia até a piscina, durante 2 anos, 3 vezes por semana, às 6 da manhã punha-se a pino. Os que o viam passar entreolhavam-se na incerteza:

- para onde é qu´é leiria?

Antes de chegar ao emprego, quando não punha os pés nos pedais, era uma correria.

O patrão que é exigente e rigoroso nos objetivos permite alguma flexibilidade para os atingir.

Quando chegou a hora informou o patriarca onde e ao que ia:

- podem seguir-me pela net.

A família de manguinhas arregaçadas prontificou-se frente ao portátil. Assim que suou a vuvuzela o chip denunciou-lhe imediatamente a sua localização.

51 minutos e alguns segundos depois surgiu o 1º nome. A ansiedade familiar era grande. Passaram mais 5 min e nada. 10, 15 e nada. Nada, o seu nome sem aparecer. E pensava-se em voz alta: Eu qu´imbir(l)ro sempre que cai n´àgua porque o registo não funciona, tenho a certeza que o nome dele irá aparecer a menos que se afogue.

23 min exatos depois e quase 400 nomes na lista, lá estava ele.

A ansiedade familiar baixou. Ufa! Daqui para a frente bastaria, a cada volta, controlarem a lista actualizável para lhe seguir os movimentos e saberiam o seu posicionamento. Quando tirou os cotovelos da cabra já só tinha perto de 300 à sua frente e agradeceu ao alentejo o seu relevo.

Mas agora é que ia saber o que era sofrer pois nunca na vida se enfrentara com aquela distância. Apenas metade. Confiou nas suas capacidades e pensou em algo como 10 km/h. Quando chegou a meio, nem quis saber dos km que faltavam, mas que só tinha que continuar a mover aquelas sapatilhas gloriosamente coloridas durante mais 2 horas.

Passados dias, o jorge, morador contíguo, fez queixas à malta:

- o meu vizinho este fim-de-semana meteu-se numa alhada, foi fazer o ironman dos bascos.

publicado por Ubicikrista às 02:57

04 de Agosto de 2014

CARISMA

NOTA PRÉVIA

Surgiu, esta semana, na caixa de correio eletrónico dos

 64 sócios do CCE a declaração que se transcreve

Caros colegas ciclistas

Venho pelo presente informar os meus amigos, que a partir deste domingo (03 de Agosto) irei transferir-me das Palmeiras para as Garagens para realizar o meu passeio de bicicleta matinal de domingo.

Esta decisão deve-se ao nível de performance que as Palmeiras atingiram que não é compatível com o meu nível de andamento. Nesta fase da minha vida procuro que as voltas de domingo sejam um espaço de convívio, com troca de experiências, com conversas de futebol e de política, onde se pedala com espirito de camaradagem e não em ritmo de corrida.

De facto, as Palmeiras transformaram-se num encontro de ciclistas com ambições desportivas em que se procura realizar uma corrida e descarregar o maior número de colegas possível, sendo que eu até admiro e respeito quem compete a nível amador, mas mal se inicia a volta nunca mais ninguém se respeita.

Até domingo.

Daniel Trepa

publicado por Ubicikrista às 02:45

29 de Julho de 2014

Entre 2 velhos nas arcadas da praça do giraldo

O que andas tu de bengala a fazer atrás das raparigas?

- não sei, já não me lembro

Com o avançar da idade perdem-se faculdades – isto não é bem verdade porque agora encontram-se universidades para seniores. A partir dos 30 anos um jogador de bola é velho. No ciclismo não é bem assim – Horn em 2013 venceu a Vuelta com 42 anos.

Nestes casos como é que se lida com a hierarquia de um capitão (futebol) ou chefe de fila (ciclismo)?

Valverde (34 anos) para muitos uma desilusão no Tour ao ficar fora do pódio que era o objetivo.

Sobre Casilhas, Mourinho disse que não o queria como titular da baliza, havia lá melhor. E passou à prática, 1º com uma mentira (Adán) e depois com a verdade (Diego). Caiu o Carmo (coitado deve ser o ex-ciclista que mais vezes cai) e a Trindade (este não sei quem é. Será uma sra?). Desmentindo Mourinho, Del Bosque defendeu o “minino”. Repercussões:

Fez perder o campeonato ao Real e ia fazendo perder a Décima (liga dos campeões). Del Bosque esse teve que engolir em silêncio os 5 secos da Holanda e ver-se-á se o afasta da seleção no futuro. Ancelotti já disse que no fim do mês dirá quem é o titular este ano – aposta-se que não deverá ser o Iker, nem que para isso tenha que sacrificar o Diego em favor do Navas, o equivalente ao Quintana da Movistar (o melhor dos 3).

Sobre o Nairo, ninguém duvida que este deveria ter estado no Tour deste ano após o 2º lugar de 2013. Unzue, o treinador, que cometeu o mesmo erro que o Ancelotti, também retifica:

-  Se calhar temos de repensar a presença do Valverde nestas provas de 3 semanas

O repensar dele é a eterna questão do líder – foi por isto que o Rui Costa, equivalente ao Diego Lopes do futebol, se pisgou da Movistar. É que está lá o Quintana (o tal Navas da Costa Rica).

E porque é que se diz que um atleta está velho? Por exemplo, o Quim do Braga, antes de ir para o Benfica, acusou doping numas análises à urina, coisa rara num guardião.

Mourinho não via, mas recebia as informações do Silvino (o treinador de guarda-redes) e Casilhas além de nunca ter sabido sair aos cruzamentos, não aguenta um treino assim, como Navas

 

Ps: alguém vai levar a sério estas revelações francesas (Pinot e Bardet)? Esta maneira de subir em rotação, tão em moda, só resulta em frança em que as subidas são de inclinação constante. Quando apanharem com um Mortirolo, Covadonga ou Anglirú, lá se vão estes trepadores franceses. Péraud que ficou em 2º e com 37 anos, sim é um escalador – 1º no Critérium Internacional, 2º no Tour do Mediterrâneo e 3º na Vuelta ao Pais Basco -, e só se tornou profissional aos 33, antes brincava ao BTT enquanto se formava em engenharia. Uma coisa é certa, a dupla Froome/Contador enquanto estiveram no Tour viram o Nibali espetar 2.30 min a todos, fosse no pavé, com chuva, frio e até com uma subida de 18% em Sheffield. Depois apenas fez o mesmo até ao fim.

Ao joaquim

após o ténis e o futebol, o ciclismo remoçou-o pela 3ª vez no desporto

publicado por Ubicikrista às 02:20

20 de Julho de 2014

Ao balcão do Reg.Civil: Quero alterar a morada!

Tem cartão de cidadã? Não é preciso sou

 acompanhante, vim com o meu marido

Há quem leve os filhos, há quem leve as mulheres, perdão a mulher (porque a bigamia é penalizante: são 2 sogras). Há quem traga ambas, mau, lá voltamos ao mesmo. Continuando. É melhor dizer, há quem traga mulher e filhos. Mas trazer mais de 100 quilos atrás, como o inácio XL, é tortura - agora vão ter de se apeitar com ele. Quem passa pela serra, qualquer subida os domingos é a descer.

Tortura também é deixar uma sra 2 dias sem um centro comercial por perto; passar 2 dias a comer broa do fiel amigo; ou 3 horas para um check-in do quarto e restaurante; mas 4 horas para encher uma piscina, é judiar os putos; já 1 hora a bater o dente no alto da torre, é tremendo. Finalmente tortura é tentar encaixar os pés de ladeira acima. Desde logo testemunhas garantiram que foi o único a sair de empurrão. Perante provas concludentes o sócio ausente, pronunciou-se:

- Agora o nosso ator preferido é o Mel Gibson

Mas há mais quem dissesse:

emplastro – bós ciclistas, sois com´ó binho, de estalo (porque á chapada, dizemos nós, só ele)

gonçalo – o sr gosta de ciclismo? então voilá

marques – ca granda confusão de contas

rosado – há dias que não tenho assento, e ainda não comecei a subir

maria - tanta coisa com a agua, afinal é igual à da costa

daniel – miguel, não me moas

mena - hoje não me apanham, vou para as torradas

tó alves – se começar a treinar açaimes, para o ano vou com vocês

pasteleira - não são d´hoje? então são 12,50

miguel - podia muito bem atacar agora

diogo – ir á torre outra vez? Ah, de carro. É já

laura – e eu pronta para lhe dar uma esfrega

ribeiro  - não vi cá cruzamento nenhum

miguel – enregelaram-se-me os braços e vim-me à rasca para travar  

rosado - antes: as chaves estão na mala. Depois: ninguém toca nas chaves

jacinto – sinto-me nas nuvens, não desço delas

Ps: os br-engenheiros, autorizaram a vistoria:

publicado por Ubicikrista às 18:36

13 de Julho de 2014

Quando a moça da beira da estrada viu o cliente baixar-se para desatacar

 as botifarras no meio da mata, assustou-se com a sua corpulência

 e fugiu. Apanhado agachado naquela posição este pensou para si:

 - Olha, já agora obro!

Já me tinham dito que, se ia subir a serra, era melhor arranjar um aparelho daqueles que possuísse Grande Precisão a Subir e que medisse pelo menos a velocidade, a pulsação, a temperatura e o local por onde andava. O que daria jeito lá em casa pois poria fim a um monte de fezes Podiam-me vigiar sem ter que andar atrás de mim. O que são as coisas. Em miúdo a minha mãe para saber onde eu andava punha-me um guizo pendurado no chapéu de palha e sabia sempre onde eu andava. Quando não ouvia a bolinha a bater durante algum tempo costumava gritar-me os dois primeiros nomes que eu deixava imediatamente a maldade que estava a fazer e procurava outra.

Quanto à temperatura, encostava-me a costa da mão à testa e sabia se eu tinha febre ou não. Mas era mais as vezes que se servia do outro lado da mão, após saber dessas maldades. Quando desconfiava que podia ser febre lá me enfiava o termómetro no canto da boca e delicadamente com voz seca, soltava:

- Não te mexas.

Nunca gostei desta prática de medir a febre. Desconfio que aquele mini termómetro era o mesmo que apareceu lá por casa quando nasceu o meu irmão mais novo. E digo desconfio, porque pareceu-me vê-lo algumas vezes deitado no berço com ele enfiado no rabo.

Quanto á velocidade, abaixo dos dois dígitos e a subir, dever-se-ia chamar, sei lá, imobilidade? É que a bezerra da ti xika, quando ia ao bebedouro, andava mais depressa que eu a subir uma serra. Ouvia muitas vezes na escola que são 5 km empinados e demorava uma hora. Só não aprendi a resposta, porque a professora feita parva, queria saber a velocidade e nunca dizia se era a do animal ou da gente, se a descer ou a subir, ou se era ida e volta. Já veem, o bicho tem quatro patas, enquanto nós...

Não sei como é que este aparelho moderno consegue fazer cálculos tão complicados, mesmo quando a rede desaparece - entre a zona do túnel e a santinha -, para nos dizer no momento a que velocidade vamos. Um espanto. Se tiverem um, se calhar é melhor não trazerem a bezerra para não atrapalharem o bicho, perdão o aparelho, que ainda é novo e a estrear. A professora, essa ao menos não queria as contas feitas de imediato, dava-nos pelo menos um dia, quando não calhava a um fim de semana. Acho que da próxima vez tenho que contratar um dos BR Engenheiros para me filmar e o filme dizer a velocidade a que vou. Se for tão baixa, tragam-me uma esqueloteira de café para beber, que era o que a minha avó fazia quando não sentia o pulso. Se ajuda a subir o pulso, também deve ajudar a subir o rabo - que também pertence ao corpo.

Abaixo no gráfico podem ver-se os pontos importantes (os chamados picos de forma) que são os fontanários de onde jorrava água fresquinha e todos eles de paragem obrigatória. A vermelho e roxo ou cerise, desculpem afinal é fúncsia, são as cerejeiras que não localizo propositadamente senão quando lá voltar chapéu, só deve estar a àrvem. A invisível são as figueiras…

Saibam que entre as muitas aplicações, lá me decidi por um se trava. Comprei este aparelho porque durante anos usei sempre um que tinha um fio desde o meio do garfo até ao aparelho no volante, o que era uma chatice quando se queria limpar a bicicleta, e decidi-me porque me disseram que com este não era preciso o fio, que ele estava ligado ao satélite e como tal não precisava do fio. Desconfiei mas mesmo assim afiambrei-me logo com ele e fiquei a ver a instalarem-no até funcionar.

Isto é magia pura ou um grande truque. Como é que isto está ligado ao satélite e não se vê o fio em lado nenhum. Calei-me bem caladinho mas pensei cá para mim se está ligado ao satélite quando for a subir é capaz de ajudar um bocado.

Mas a marca é que me atraiu, porque tenho medo das descidas e com o passar dos anos tenho esse receio de nem sempre me conseguir lembrar onde estão os travões. Então este se trava, eu paro, aproveito e bebo mais uma pinga de água em cada fonte. Além disso, um pouco de descanso ao aparelho não lhe ficará nada mal para processar melhor os dados. Não acreditam? Experimentem fazer contas de cabeça à velocidade quer iriam se viessem a descer,, enquanto sobem uma serra.

publicado por Ubicikrista às 16:59

06 de Julho de 2014

Desde que se soube que CR7 adquiriu um aparelho caseiro de criosauna de 45 mil euros para reduzir a a taxa metabólica (cansaço) e melhorar a circulação sanguínea (manter a boa forma), que a coisa se tornou obsessiva entre os desportistas:

      *     há quem faça 700 km (ida e volta) para aproveitar esta técnica num lago artificial, e poder

            beneficiar deste recuperador de pernas natural, uma espécie de “mesinha caseira” dos pobres
       *     comprovou-se também que uma piscina pode demorar 2 horas a encher, mas obrigatoriamente

              (leis da física) levará metade a esvaziar
       *     um percurso pode durar 5 horas a fazer, mas se durar 7 também se faz
       *     atalhos mais curtos pelo lado mais difícil podem dar-nos avanços de ½ hora
       *     o bacalhau de broa é como subir à torre, há varias maneiras de se fazer
       *     as árvores carregadas de cerejas são como as curvas da serra, nunca mais acabam

Rescaldo

17 atletas (caganeirosos e dietistas também contam)

6 filhos (o gonçalo também é, não deveria pagar)

8 esposas (a vantagem do isolamento entre montanhas)

Ps: para mais informações consultar:

o perigo de ir e voltar no mesmo dia

o mesmo de hoje mas noutros anos

publicado por Ubicikrista às 22:05

10 de Junho de 2014

- Comecemos então pelos cornos. Dispa-se lá!

Momentos antes a utente pedira ao seu médico de família:

Sr doutor receite-me lá qualquer coisa para enrijar o meu

 marido, algo que o deixe ficar forte que nem um touro.

Como se fabrica um ciclista? Quando o sentam na aranha? Ou no triciclo, seguido da primeira bicicleta? O capacete é uma boa ideia. As luvas também não é mal pensado. As sapatilhas? No futebol costuma resultar.

Por uma questão familiar (o avô abandonou por não suportar as barras nos dorsais), mas sobretudo de amizade, resolvemos inovar.

A ideia de investimento, sem a obrigatoriedade de retorno, começou há 9 anos num autocarro novo construído a pedido de um clube. Acabadinho de estrear, regressou para instalação dos chuveiros. A cunha chegou através de um telefonema do mecânico da scania:

- Vais-te passar quando vires isto!

Ps: com o avô treinador, o pai jogador, tentemos então desviar o puto no rescaldo da festa:

publicado por Ubicikrista às 02:29

28 de Maio de 2014

Dos azuis da rua da estação, recebemos um

convite para nos juntarmos à sua festa!

Antes do fim do milénio passado a rtp passava uma série denominada hill street blues (qualquer coisa como: os azuis da rua da colina) e traduzida em portugal como a balada de hill street, os espanhóis – sacanas lembraram-se de marcar um jogo de pontapés na bola, em lisboa, só para impedir maior numero de presenças no evento abaixo) - , que não legendam filmes e dão trabalho de vocalização a atores, foram mais tarde na nossa “onda” e vá de traduzir para canção triste de hill street, intuindo que blues tinha a ver com a musica que passava no final de cada episódio e não à cor da camisa das fardas.

Ps: o céu também estava azul. Até o vento… se tivesse cor.

publicado por Ubicikrista às 02:11

12 de Maio de 2014

 

Dilema de um tio do meu pai na tropa:

Como é que o 1º sargento manda mais que o 2º, se 2 é mais que 1.

Antes: sr guarda fique descansado que a gente vai 2 a 2 – vai 1 a par do outro

Depois: quase sempre 2 a 2 – 2 dentro e 2 na berma

Tenho 2 fotos de 2 sítios de mau comportamento – 1 do czto s manços e 1 na ponte do guadiana

Nós temos 2 vídeos de bem alinhados – 1 abaixo e 1 do br engenheiros (depois + 1 e outro)

Nós os 2 vamos fazer a visita a duas raparigas – a moura e à marina

Dá jeito ter 2 inacios controladores – 1 à frente e 1 atrás

2 tipos de balneários – 1 para homens e 1 outro para homens (ups, cavalheiros?)

2 modos de limpar o pó da estrada – 1 à chuveirada e 1 outro à mangueirada

Só a 2 não lhes chegou uma gota ao pelo – 1 da barragem e 1 de ida e volta

Eu cá trago sempre os 2 filhos – 1 que é o mais velho e 1 que é o mais novo

Andamos sempre os 2 em família – 1 o XL e 1 sogro

Cabiam de certeza 2 gajos dentro daquela camisola – para já 2 titalos

Fico com remorsos dos 2 pratos – 1 de peixe e 1 de carne

Devíamos ter pago 2 preços – 1 da bubida e 1 da comida

Eu só vim porque me garantiram 2 transportes – 1 para mim e 1 para a bici

2 a fazerem-se ao piso – a 2 carros

2 ainda em pé a retardarem o pedido de táxi – 1 shot para 1 e 1 para outro

ps: O que chamar a uma pessoa que se engana e paga 2 vezes? generosa?

publicado por Ubicikrista às 17:43

10 de Maio de 2014

                                                                                                                                      NOTA prévia

Este sempre será um local onde se privilegia o coletivo, como tal, nós

 (Carmo, Jacinto, Aleixo, Murteira, Pombinho e outros invejosos)

ciclistas de sofá, aplaudimos a "pintura" das tuas façanhas

Por Mário Fonseca

…arrisquei ao mudar coisas na Foil na véspera da corrida. Baixei a ponta do selim mais um milímetro e rodei a haste de guiador para cima para ficar com os apoios dos manípulos de travão um pouco mais altos e com a inclinação mais de acordo com a posição dos braços/mãos quando pedalo de pé.

Comprei o meu gel e as barras de proteína favoritas, porque isso é que não podia falhar. As minhas panquecas funcionam para não passar fome nas voltas diárias mas para competir não resultam. Para a hidratação contei com o meu amigo Sali+.

publicado por Ubicikrista às 14:54

28 de Abril de 2014

PERFIL

Ao comentário: Em Évora não há patrocínio. Responde:

- Se procurarem bem, há pelo menos um junto aos

bombeiros, ao pé do hospital da misericórdia.

Já passaram 30 meses e continua a falar disso periodicamente, recordando uma frase que escutou no évora-sagres no dia do tróia, como o único momento em que teve algum receio, como aglutinador de pessoas, talvez por ser o seu primeiro:

- Quem aguentar a taleiga enfiada contra o vento até viana, chega lá abaixo.

Daí para cá derrubou todas as barreiras que lhe apareceram pela frente, e sem cair. Bom caiu uma vez no sprint antes da rotunda para reguengos, mais isso também não interessa aqui para nada.

Seguiu-se o transportugal, depois arranjou um grupo e enfardou-os. Agora. munido de toda essa experiencia anterior, concretizou-nos um sonho de há 15 anos, quando pegámos na mochila e zarpámos, primeiro a málaga, depois sabinhanigo, puigcerdá e finalmente serra nevada. E quisemos tanto aquela realidade aqui ao pé da porta. E esse dia chegou:

PS: O ricardo, pioneiro em málaga à 15 anos, conta pelo que passou nesta.

Ah, e o mário também.

publicado por Ubicikrista às 21:11

08 de Abril de 2014

Em alter do chão um transeunte aventura-se:

- Com tantas horas em cima das bicicletas, são já uns especialistas de ciclismo.

O xico que é dali, discorda:

- Ná! Cá a minha especialidade é em cavalo

 

Qual aviador, qual alpinista! Torna-te mas é num manequim se quiseres subir bem na vida. Só te safas se tiveres um corpo com menos carne que um cozido de um vegetariano.

Nada mais desagradável quando na casa de banho em pleno esforço, atendemos uma chamada:

- Esssstooou?

publicado por Ubicikrista às 03:13

18 de Março de 2014

As prendas de noiva, são como as situações.

Umas dão jeito outras não.

Treinar séries, por vezes, pode trazer-nos más interpretações. Após o esforço máximo segue-se um período de recuperação e nessas alturas se calha a sair de um cruzamento alguém com uma bicicleta de montanha, passa por nós como se fossemos peados. Se somos nós a passar na fase do esforço pode parecer exibicionismo.

Tal como estas situações, também há sítios que são de evitar. Um deles é a subida da boa morte. Alguns de nós mal saem da rotunda do redondo já veem com o trauma só de pensar nela.

publicado por Ubicikrista às 03:24

25 de Fevereiro de 2014

O homem precisava de sacar 30 seg. Atacou a 300 m da meta (testemunho do rosado) e ganhou 10. Ora se a subida tinha 2,5 km com o 1º km e meio a 14 % e o último para ai a 7%, tanto festejo para quê? Ganhou apenas uma etapa e não a algarvia. Para quem já foi apelidado de dopador, (agora já faz contas à dor) e não ganhava nada à mais de um ano (mirador del sol de san luis, na argentina), este sprint serviu para atirar areia para os olhos do patr(ã)ocionador. O ricardo scheidecker que é o diretor técnico diz, todo orgulhoso, que este ano lhe mudou o esquema de treino, que são para ganhar em todas as que a equipa entrar, etc. No fundo mais folclore. No próximo dia 12 no tirreno adriático quando o antigo pistoleiro enfrentar (se nenhum deles se baldar) o froome, o rodrigues e o quintana, etc., veremos, o tal will see dos ingleses, que pólvora lhe resta.

publicado por Ubicikrista às 02:10

16 de Fevereiro de 2014

No norte da europa uma palmada na rua a um filho

dá direito a entrega imediata à assistente social,

By Cidália, colega e viajante nórdica inveterada

Pós relação dux (porrada, chapadas, etc.), o sistema educacional exigiu aos pais cuidados extremos na abordagem aos filhos. Atingiram-se assim patamares elevadíssimos porque os putos também reagiram na mesma moeda. Assistamos:

     - Tenho aqui as últimas sondagens que recolhi sobre o teu desempenho como pai e temo que a tua

        taxa de aprovação esteja com valores muito baixos

     - Isso só acontece porque não tem que haver ligação entre o que é bom e o que é popular. Faço o

        que está certo, e não o que tem maior aceitação. Desinteressam-me os índices de popularidade

     - Com essa atitude, vai ser difícil manteres o cargo

     - Avisa-me quando encontrares uma pessoa que se ofereça para este trabalho

Historicamente durante muitos anos o aviso de respeito com sentido único não deixava dúvidas:

     - Não te quero cá á porta de casa com nenhuma rapariga senão for para casares

Mas nos dias de hoje depois de tanta mudança o aviso já vem do outro lado:

     - Pai agora que te reformaste e como a minha namorada está grávida, estamos a pensar vir para

        cá morar os dois, enquanto não arranjarmos emprego

Embora no alentejo ainda se assista a algum requinte mutuo no que respeita às hierarquias:

     - Põe-te daqui para fora, já tens mais que idade para te governares sozinho

     - O pai veja lá o que faz! Está a pôr na rua uma pessoa com mais de 30 anos de casa

Às mães do peixe assado ao domingo:

carla palha, maria teixeira e laura diogo

publicado por Ubicikrista às 01:32

04 de Fevereiro de 2014

Carisma

Não há universidade que nos tire da idade da pedra lascada,

Miguel Torga

Antes do 25 de abril para entrar no sanches de miranda e no campo estrela os miúdos só o podiam fazer acompanhados de um adulto, daí o peditório à porta destes templos:

- Mestre, leve-me consigo

Só nessa altura era permitido a um desconhecido pegar num braço do filho de outro. Uns nunca mais os víamos, outros era por eles que esperávamos em dias de jogos porque já sabíamos que dali não vinha nega. Se, durante as semanas seguintes, encontrávamos algum na rua curvávamo-nos com humildade agradecida. Muitos nem se lembravam de nós.

publicado por Ubicikrista às 00:57

13 de Janeiro de 2014

José Sócrates disse no comentário semanal da RTP que ouviu o relato do jogo de

Portugal frente à Coreia no mundial de 66 a caminho da escola.

Pergunta-se: a um sábado, em período de férias escolares? Era já o prenuncio do

mitómano que viria a obter o seu  diploma universitário com exames ao domingo

Eu vi-o. Foi na 2ª semana a seguir ao ano novo de 67. Mal larguei a mão do homem a quem se pedia à entrada do campo Estrela para fazer de familiar, corri na direção do meio do peão. E vi-o, e guardei para sempre esta imagem: a 1 metro do bico da área recebe e pára uma bola, o adversário também não se mexe à sua frente pronto para o despique. Os três parados durantes segundos. De repente a perna direita passa sobre a bola como se fosse arrancar, no mesmo instante, aproveitando o balanço da mesma, enquanto a esquerda continuava em apoio, disparou um petardo ao canto inferior mais longínquo da baliza.

      

publicado por Ubicikrista às 02:05

06 de Janeiro de 2014

Fia-te na virgem e não corras, popular

Às vezes a imprevisibilidade baseada na confiança é surpreendente (nos relógios também) e inunda-nos de sabedoria que dava jeito dispensar:

Não se pode andar na roda de ninguém, Depois de ensopados parar para beber café arrepia, Rajadas laterais a partir de 30 km/h a descer é suicídio se não se parar, Fundilhos, capas, travões, jantes e ... raios de trabalho para a murraça desaparecer.

Depois de iniciada (a marcha), só resta um caminho: o mais rápido para casa, com pequenos ajustes: os terminais das roupas convém irem por fora das luvas e das capas e não o inverso.

Minutos antes a preocupação reduzira-se a: Se eles dizem que é para ir foi porque já verificaram que se pode, consubstanciada na repetição sistemática, face à má cara que pairava no meio envolvente, de iminências pardas: Só lá para o meio dia é que pinga.

E tudo porque na noite anterior o telelé iluminava-se com a mensagem:

- Amanhã às 9 na palmeira, para quem queira.

publicado por Ubicikrista às 01:28

31 de Dezembro de 2013

Carisma

Com um procriador que o vigia constantemente, assistiu-se à mais rápida adaptação de um jovem às regras (tomara muitos) de um lar de idosos:

Quando vê que o grupo se começa a alongar em fila indiana aos primeiros kms, deixando as conversas de ocasião com os parceiros adiadas para o dia de são nunca à tarde, cedo percebe que quem lá está na frente é alguém a armar-se ou com o nervoso inconsciente que leva metido mais que o limite da pedaleira pequena ou alguém em pré época de competição a aguentar com rotações acima das 100 pedaladas.

publicado por Ubicikrista às 02:52

25 de Dezembro de 2013

Ficção

Sergio paulino seguia na frente de paolo bettini em vigilância mutua para o arranque

final que iria decidir o campeão olimpico. De repente passa de trás para a

frente um carro lançado. O sergio ao ver aquele vulto pensando ser o

seu adversario precipita-se e começa a sprintar antes de tempo

In, Impressão minha

Aguentou disfarçando a sua impaciência o mais que pôde até que alguém lá atirou para o ar o percurso daquele dia, já com 10 min de atraso do habitual. Servir de motorista no troia-sagres no domingo anterior perante um record de presenças, só lhe abrira mais o apetite, de tal maneira que na descida da igreja de sta barbara já dividira o grupo em dois, mais os atrasados de sempre que não se deslargam deste o km zero. Os dois graus de temperatura foi a desculpa que arranjou para si próprio para se pôr lá na frente tão cedo. Só na subida antes de s.miguel é que conseguiu sentir as mãos e pela primeira vez poder mexer nas mudanças. Lembrou-se de há muitos anos, numa manhã tão gelada como aquela, de ter visto o romão a voltar para trás ao frei-aleixo alegando que não estava para apanhar uma arritmia.

publicado por Ubicikrista às 08:06

05 de Dezembro de 2013

Se a juventude soubesse, se a velhice pudesse.

By Henri Estienne

Há um ano toda a gente queria que o maior dos maiores confessasse, agora todos fingem desinteressar-se do que diz. Neste entretanto vitor gamito anunciou que vai voltar ao ciclismo profissional 10 anos depois, i.é., aos 43 anos, depois ter ganho o montado de portel e o transportugal entre outros.

Mas há mais coisas na vida que nunca deveriam ser ditas ou feitas:

treinador: o meu ciclista teve uma queda e por isso afundou-se na classificação geral (e não por não saber nadar. Podia por ex: ter-se afogado em prantos. Eu quando caio esfolo-me)

amigo: o berlusconi foi afastado do parlamento mas ainda está ali para as curvas (foi expulso exatamente por viver obcecado por curvas... menores)

academia de alcochete: vê-se o bom trabalho nas camadas jovens (dantes estas eram só para adultos)

joão moutinho: fui do benfica, mas depois cresci (no quê? Só se foi no pen...derlico)

Ps: Não é justo alguém ingressar na alta competição só porque andou alguns anos a fazer disto:

publicado por Ubicikrista às 14:22

14 de Novembro de 2013

Mostrei o cartão amarelo ao nº 8 do xifranense que ameaçou que me partia

 os cornos, facto que não se confirmou por um colega o ter impedido,

by quim da mina, cartucheiro diário  

Ex. de um dos 1ºs relatórios de quaisquer jovens árbitros de futebol, que

 my self e o bacalhau riberalves, assistimos à quase 40 anos

Confesso que não gosto de puxadores, não vejo utilidade. As portas deviam abrir sempre para os lados como nos filmes chineses.

Uma coisa é alguém andar na frente a marcar ritmo ao grupo. Outra é puxar e ir largando lixo (pessoal) pelo caminho para que os que vem atras apanhem. Entendo que os rebocadores puxem (mas não que os puxadores reboquem) para recuperar duma distância entre grupos ou apara anular uma fuga. Mas puxar, quando não há ninguém na frente para apanhar, não vejo utilidade, a menos que se trate de um contrarrelógio por equipas, mas aí cada um deveria puxar apenas durante um km. Mas contrarrelógios todos os domingos é demais. É verdade que os melhores ciclistas profissionais também se andam a preparar durante todo o ano para o tour de frança. Mas cá entre nós ciclistas amadores não há nada que nos motive o ano inteiro para andarmos nestes preparos. Confesso que não estou a ver a razão, a não ser que… um dia destes na rua:

- Atão é este ano que batemos o recorde (de presenças?) se não chover e com vento favorável?

publicado por Ubicikrista às 21:14

02 de Novembro de 2013

Tática

Depois de um 3º lugar obtido pelo sprinter fernando mendes, numa etapa do tour, após

 fuga com mais dois ciclistas, joaquim agostinho diria a sua melhor frase de sempre:

- ele não devia ter puxado nos últimos 20 kms

No ciclismo amador há quem se resguarde e quem goste de puxar. A maioria protege-se. Um ou outro não dá hipótese a ninguém de ajudar, nem se importa que outros gostem de o fazer. Não sai lá da frente por nada. As voltas são todas iguais. Um puxa e os outros vão ficando pelo caminho, quando já não aguentam. Na hora da verdade os mais aptos vão-se embora e chegam primeiro.

Não obstante ser das coisa mais aborrecidas no ciclismo amador, ver um a puxar por um grupo de ciclistas, as equipas profissionais fazem-no amiúde. Quando aquele se gasta é substituído por outro, como se de uma lâmpada se tratasse. Na hora da verdade está lá o seu chefe de fila, junto com outros de cada equipa para a discussão da etapa. Sem ajudas de companheiros é cada um por si. Ganha aquele que toma a melhor decisão. Foi assim com o rui no último campeonato do mundo. Valverde o melhor sprinter ficou à espera que o nibaldi puxasse.

Agora, no critério de saitama no japão, o froome atacou. Sagan sendo melhor sprinter ficou à espera que o rui o levasse lá

publicado por Ubicikrista às 23:13

17 de Outubro de 2013

Chegar, ver e vencer. Do latim, veni, vidi, vici

Era a sua primeira corrida do género e ganhou-a. Passara a vida a contratar pessoas para desempenhar aquelas funções noutras paragens. Nunca tinha pensado entrar numa prova assim. Não eram muitos é verdade, mas entre os mais de 20, havia alguns com muita experiencia de muitos anos naquilo. Queria aquela vitoria  a todo o custo. Sabia quanto ela é importante, porque traz privilégios únicos ao seu portador: melhor colocação que os seus adversários e melhor leitura dos acontecimentos, melhores fotos etc. Quando toca a dar de beber à dor é o mais rápido e o que provoca menos desgaste e melhor recuperação em qualquer elemento da equipa que dele se aproxime. E então quando se dão fugas com mais de um minuto nos últimos km pode ultrapassar e saltar lá para a frente com autorização do diretor da corrida, se lá for um dos dele (minuto 18.40).

É verdade que para estar ali abdicara de disputar outro troféu matinal dos domingos (que o recente medalhado no pódio do madrid-lisboa tão bem denominou), a que raramente falta, porque gosta de participar mas nunca de o disputar. Até porque já não tem condições psicológicas para o fazer, alega.

Há quem diga tratar-se da famosa sorte de principiante, mas verdade é que quando questionado sobre como é ser-se bom a ir às sortes, disse:

- Vi onde estava o papelinho com o número um desde o princípio e ninguém o tirava. Quando chegou a minha vez ganfei-o.

publicado por Ubicikrista às 03:21

07 de Outubro de 2013

Uma corrida nunca se deve deixar chegar ao sprinte,

é perigoso, exceto quando são poucos, in entre nós

Hommer Simposon grita em plenos pulmões para o

Bart e a Lisa: Perdedores, são uns perdedores

No ciclismo popular de grupos ganha-se por ódio ao rival. Tem-se ódio porque o outro anda mais que nós. Ódio por quem sobe melhor. Ódio por quem sprinta melhor. Ódio porque se escolhe um percurso com mais subidas que plano. Ódio por quem é mais novo. Ódio pelos que saem 1/2 hora mais cedo ou mais tarde. Ódio por quem mal chega ao grupo já anda mais que nós. E quando há ódio quem é que perde? Os envolvidos. Sejam companheiros de escola, de grupo ou de rua.

Espanha sempre teve ódios entre ciclistas. Desde olano com indurain, passando por freire e valverde, até ao recente rodrigues/valverde. Abrindo um parêntesis para dizer que em itália se passou o mesmo. Foi preciso um paolo bettini, por sinal de origem argentina, para que houvesse união e pudessem ter de novo um campeão do mundo.

Numa dada altura indurain era tão superior aos seus adversários que meteu na cabeça começar a treinar os sprints, vá la saber-se porquê. Soberba? Nesse Mundial na Colômbia dava-se ao luxo de esperar pelos seus adversários nas subidas.

Na ultima então esperou demasiado. O olano que se atrasara nas subidas fartou-se e saiu lá detrás com tudo metido. O que fazer indurain? Ir atrás do seu colega de seleção ou não? Ficou. Olano viria a ganhar mesmo fazendo o ultimo km com a roda em baixo devido a um furo. Indurain bateria ao sprinte os seus rivais para o 2º lugar. Tanta superioridade para nada. Especialistas acusariam olano de traição porque indurain tinha a corrida controlada. Outros disseram de Indurain que foi bem feito por ter andado a brincar às superioridades

Agora voltou a passar-se o mesmo entre espanhóis. Rodrigues atacou e valverde não foi, tal como o Indurain. Só que desta vez estava lá o rui costa, conhecedor destes ódios, teve a calma suficiente assim que apanhou o rodriguez de não o passar de seguida sem primeiro descansar, e valverde deveria ter vindo com o rui, mesmo trazendo o nibali. Não o fez (a sua missão deveria ser responder aos ataques) e afundou o rodrigues deixando-o por sua conta. Assim como o rodrigues não deveria ter atacado a 3 km da meta porque o valverde era o melhor de todos no sprint.

No fim valverde desculpou-se de que não tinha forças. Purito disse que tinha atacado por sugestão de valverde e depois chorou (e o rui também – esta versão do hino nunca mais acabava). Teria chorado se valverde ganhasse e ele ficado em 2º como ficou? Valverde só quer ser campeão do mundo uma vez, mas ninguém se dispôs a ajudá-lo nas 5 vezes que já fez pódio (dois segundos e três terceiros), um recorde.

PS: não é verdade o que tem circulado. O comentador sabia quem ia ganhar, apenas deixou escapar um ligeiro alento iludido pela decisão do realizador ao desfazer o zoom em cima da meta (quando pareceu que o rui não ia conseguir)

publicado por Ubicikrista às 15:17

25 de Setembro de 2013

CARISMA

Não perguntes o que é que o teu país pode fazer por ti

pergunta o que é que tu podes fazer por ele,

John Kennedy, presidente dos EU assassinado (não por isto)

- Conta comigo

Foi a frase, durante a semana, que mais vezes se escutou e que com o aproximar do grande dia foi sofrendo metamorfoses: Onde é que eu fico ou O que é que tens para mim.

Humildemente, desta forma, os postos vão sendo preenchidos. Esta oferta de humildade é o que faz com que um coletivo obtenha resultados brilhandes raiando a perfeição. Mas há os que já são humildes por natureza, seja do seu carater ou da educação recebida se destaque pela simplicidade, pela facilidade do trato, etc., e quando se lhe colocou a questão: precisamos de… Eu faço, disse. E fez, abrindo caminhos, para que outros não sofressem entraves, e com a mesma simplicidade de sempre saiu de cena discreto e eficiente. Mas quem o acompanha há dez anos, ainda pode ser mais humilde, como se fosse possível bater o cúmulo do anonimato (os americanos, tal como no insanity=insanidade, pessoas não saudáveis, tem uma expressão que é o ordinary people, gente ordinária. Mas assim, traduzindo à letra é depreciativo. Gente vulgar, não melhora a coisa. Definitivamente sem melindres, pessoas simples, ou gente humilde).

Perante o que lhe fora destinado: Aqui estão as canetas, perguntou sem ar de desapontamento, Não há mais, é que preciso de três? Não lamento.

- Não faz mal eu compro (que significa, soubemo-lo à posterior, Não posso desiludir as minhas companheiras).

publicado por Ubicikrista às 22:00

15 de Setembro de 2013

CARISMA

Num registo civil de uma província ultramarina

Que nome vai pôr ao seu filho: é-BATATA. Não pode!

 Porquê se o meu cunhado pode e está de acordo com a profissão.

E o que faz o seu cunhado? Planta milho. E você? Batata.

 E como se chama o seu sobrinho? é-MILHIO

foi a ele a quem armadilharam uma folha de inscritos em time new roman tamanho sete, esquecendo-se que cada vez mais padece do síndroma do braço curto

foi ele que durante meia hora acolheu nos seus braços e aconchegou as mantas ou edredão (à mais nova) de modo a manter bem quentinhas as três dúzias de meninas que os donos montariam a seu belo prazer daí a duas horas, até se escutar uma voz sábia: Sai daí, não serves para arrumador!

foi ele que depois da lagarta se pôr em movimento teve que repetir na coxia mais de 30 vezes: Jantas?

   
publicado por Ubicikrista às 18:52

27 de Agosto de 2013

ABC do código da estrada – III

O raspanete dado, 100 m após a saída da palmeira na direção da cartuxa, por um automobilista que se encontrava parado a aguardar abertura do sinal verde, seguido de uma lembrança de que o facto poderia acarretar 30 € a cada transgressor, foi mais que merecido para quem não respeitou o sinal vermelho do semáforo da tapada. Mas somos reincidentes, especialmente em montemor onde apanhamos, não um, nem dois, nem três, mas sim quatro semáforos seguidos. Quantos não transgridem?

publicado por Ubicikrista às 01:13

21 de Agosto de 2013

ABC do Código da estrada – II

Nota prévia:

Há normas para os veículos que não estão escritas mas devem ser respeitadas:

a sra da fonte da graça do divor não quer as bicicletas encostadas à sua parede.

Se fossemos de carro eramos nós que não o queríamos encostar

O CE diz que é proibido Parar ou Estacionar veículos (o que inclui as bicicletas - artº 112) em cima dos passeios, nas placas centrais das rotundas e noutros locais destinados à circulação de peões (relvados, esquinas, jardins públicos). E ainda (art. 90º) "na faixa de rodagem sempre que esteja sinalizada com linha longitudinal contínua e a distância entre esta e o veículo seja inferior a 3 m". 

A multa é de 30 a 70 €

Portantos os furinhos não podem ser consertados na berma da estrada

A relvinha da palmeira não é para bicicletas nem a rotunda da quinta do Moniz só porque tem sombra, nem na rotunda de pavia só porque tem café, nem na esquina do café no torrão

   

Duvidas

Perante o agente autuante o velocipedista poderá alegar que parou (não estacionou) para ir fazer uma descarga ... ao WC ?

O velocipedista que conduza o seu veiculo pode ser mandado parar numa operação STOP e sujeitar-se a provas de deteção de armas, drogas, arte sacra, etc, que eventualmente transporte ... na mochila?

publicado por Ubicikrista às 00:43

11 de Agosto de 2013

ABC do código da estrada - I

Pronto, acabou-se a paciência. Tinha que se dar um dia. A partir de hoje vamos denunciar aqui as infrações na estrada cometidas pelos condutores dos veículos, sejam de quatro ou de duas rodas.

Entre vale figueira e lavre o grupo seguia em duas filas habituais, quando subitamente suou uma buzina normal, que momentos depois viríamos a saber tratar-se de uma ambulância, obrigando os condutores dos velocípedes da fila interior a juntarem-se ao da berma, enquanto o veiculo se atravessava e quase estancava á sua frente para se desviar para um caminho de povoado, forçando uns a travar a fundo, dois a conseguirem passar e outros tantos a enfiarem para o tal caminho, uma vez que estavam “entaleigados” e não conseguiram desprenderem-se dos pedais.

Nota: Sabendo que existem quatro tipos de ambulâncias (ABCI: Ambulância de cuidados Intensivos; ABSC: Ambulância de Socorro; ABTD: Ambulância de Transporte de Doentes; ABTM: Ambulância de Transporte Médico) com comportamentos diferenciados na estrada e não querendo esperar alguns segundos para sair da estrada principal à direita, sem que para tal pusesse em perigo os condutores dos velocípedes, este condutor se estava em Missão Urgente de Socorro, deveria para além de buzinar mais vezes ter o pirilampo azul ligado.

publicado por Ubicikrista às 23:28

28 de Julho de 2013

São animais obcecados pela sua higiene pessoal. Lavam as mãos depois

de comerem, lambendo as patas meticulosamente com a língua.

In Peculiaridades dos gatos

Cada vez mais está na moda praticar mais de que uma modalidade desportiva. A culpada foi a filha de um ex-ciclista que há mais ou menos 10 anos andou por esse mundo fora a vencer todas as provas em que participava, até que o pai se meteu e começou a dizer vai nessa.

Mas isto tem regras. A malta tem que calçar umas sapatilhas e dar umas corridinhas pelas ruas da cidade, claro que para lá chegar só pode utilizar o único meio de transporte autorizado: a bicicleta. A pessoa que inventou isto (uma mulher a dias?) estava tão obcecada pela limpeza, que os participantes antes de chegarem às bicicletas têm que tomar banho deitados na água e rodar os braços e a agitar as pernas para que os sovacos e as virilhas fiquem bem limpinhos. Só depois de pelo menos um quarto de hora de molho é que podem sair e começar a dar aos pedais.

Por ser o nosso preferido (vá lá saber-se porquê) foi neste setor que os fomos ver passar, com o banhinho acabado de tomar, ainda sob o efeito do perfume com ligeiro odor a peixe de barragem.

Depois viemos no meio deles durante 12 km e por desconhecermos as regras (era dia sem roda) houve quem oferecesse: - Mete-te aí atrás, para logo receber um simples abanar de cabeça negativo ou mesmo um penoso: Não posso.

Por estarmos ilegais não podemos emitir essas imagens fantásticas. Fiquemos pela passagem ao km 9.

publicado por Ubicikrista às 19:31

19 de Julho de 2013

rui costa após vencer a sua 2ª etapa do Tour

- Foi um dia perfeito.

Os amantes do ciclismo, perdão, há montes de ciclistas como nós, que aspiram, perdão de novo, suspiram, por um dia assim. Aspiremos então, tendo ainda presente a recente declaração daquele que para muitos foi o mais melhor bom de todos:

- Ninguém ganha isto sem recurso a “produtos”.

publicado por Ubicikrista às 22:26

07 de Julho de 2013

Na banda (não basta) a nha mãe estar doente senão

o mê pai ainda pro cima (também). In, sr mê pai

Há pelo menos duas formas de impedir a livre circulação dos ciclistas na via pública: por atropelamento ou por interpelamento.

 

1 - ATROPELAR (derrubar)

Não chegava aos ciclistas neste ultimo mês terem sido abalroados por viaturas de automobilistas esquivos em circunstâncias diversas:

       *           frontalmente (czto. guadalupe)
       *           lateralmente (aeródromo)
                 mortalmente (lixeira)

publicado por Ubicikrista às 18:48

29 de Junho de 2013

FICÇÃO

A publicidade exposta no dorsal do moça ciclista não levantava

duvidas quanto à origem do seu único sponsor, "Obrigado pai".

by daniel trepa

Um grupo de ciclistasm para divulgar a sua cidade, precisou de mil euros anuais para equipamentos e poder assim funcionar no arranque dos seus primeiros anos de vida. Decidiu abrir as inscrições aos patrocinadores e apareceram 10 candidatos. Como entre eles havia patrocinadores fortes (entenda-se ricos) e menos fortes (pobres), teria que se aplicar o principio da equidade na recolha desses valores. Assim o grupo aceitou 590 euros do patrocinador mais forte, 180 do segundo, 120 do terceiro, 70 do quarto, 30 do quinto e 10 do sexto. Os 4 últimos por serem os mais fracos teriam a sua publicidade nos equipamentos do grupo sem nada pagarem.

publicado por Ubicikrista às 16:41

22 de Junho de 2013

Carisma

Numa chegada a mértola:

 - Pichotes, são uns pichotes

O sorriso, o gozo, a simpatia e a crítica, faz seguramente dele o último dos cavalheiros. Possuía uma educação rara herdada talvez dos salões reais do séc 18. Único no uso extremo da delicadeza e educação não só com as senhoras mas sobretudo com os cavalheiros. Gabava as pessoas, incentivando-lhes o ego: Você é extraordinário, dizia amiude nem que fosse só por simpatia. Via em qualquer pessoa uma criança que precisava disso para poder crescer e se tornar um ser humano melhor.

publicado por Ubicikrista às 20:57

12 de Junho de 2013

CARISMA

NA MESA DE INSCRIÇÕES

Qual o nome da equipa? - Ponha individual.

- Certo! Pensei que ia dizer egoista!

Há quem (rui minhós) faça tudo para ter um e o pague antes (entenda-se protótipo) de estar à venda.

Outros (maioria) não passam sem todo o manancial inerente: boné, perneiras, luvas, mangueiras (?), joelheiras, panelei… camiseiras (interiores), casaqueiras, calçeiras, sei lá, etc.

 

publicado por Ubicikrista às 18:15

20 de Maio de 2013

Minha querida filhe

Desculpa esta minha pronúncie mas conheci aqui uma raparigue da mêma terre do nosse presedente cavaque silve. Esta missive serve pra te dezeri que vou regressare a portugale e ao nosse queride alenteje, stou farte do estrângero.

Adescobri que vocemecezes tem naí no alenteje um moçe especialista em atos terroristas de destruição maciçe e sem chegare a utilizare armas, explosives ou violêncie.

publicado por Ubicikrista às 18:06

14 de Maio de 2013

Cada vez mais se vê nas grandes voltas metade do pelotão a abrandar e a fazer o resto da etapa nas calmas mal chega a primeira subida a sério, plagiando descaradamente alguns ciclistas (?) da palmeira, seja no alto da casbarra, à coagro antes da boa morte, no monte pinheiro nas vinhas da fundação eugénio de almeida à saída para reguengos, ou, inédito dos inéditos na recente descida do alto dos cucos (ups, esta não era para dizer porque não vem ao caso, não se trata de uma subida), e sempre antes do km 5.

publicado por Ubicikrista às 01:08

02 de Maio de 2013

TECNICA (para os não possuidores de pratos ovalizados, tipo Rotor)

Desconhecido postou este comentário:

Com os resultados dos testes chegou-se a importantes conclusões:
a. Não adianta aumentar a força na “puxada” pois resulta numa maior irregularidade ou numa pedalada mais “travada”.
b. Os pontos fracos da pedalada são as fases do “retorno” e “chute”, quando aparecem forças horizontais ao solo.

publicado por Ubicikrista às 13:57

23 de Abril de 2013

Lema dos entradotes (velhos com cabelo transparente):

não interessa o que foste, mas o que consegues fazer agora

O joão almeida reincidindo, avisou: quero-vos cá! Desta vez não venham sentados no selim para saborear os pasteis, venham em pezinhos de lã ao cheiro das bifanas. Repetiu o aviso por mais conhecidos.

Desafio para um velho é andar de cacheira na mão atrás das raparigas e quando lhe perguntam porquê, diz que não sabe, porque já não se lembra. Provavelmente é só o instinto a ditar leis.

publicado por Ubicikrista às 02:50

08 de Abril de 2013

 Invejo as pessoas que bebem. Pelo menos têm alguma

coisa em que põr a culpa, Oscar Levant

Aviso prévio: as buídas atrapalham nas contas e não evitam a troca de palavras, mas o cérebro saber ler desde que a primeira letra a ultima estejam no sitio, senão vejamos:

HÁ DAUS CETRZEAS NA VDIA: A MOTRE E OS IMPSOTOS, MAS DEOPIS HÁ A CAÇNÃO QUE AVSIA AFNIAL DA EXTISENICA DE UMA EVNETAUL TECRERIA: 100 TRINEOS NÃO HÁ MIGRALES

  
publicado por Ubicikrista às 01:10

24 de Março de 2013

TATICA

Situação 1: o chefe de fila da equipa é o camisola amarela numa prova internacional.

Faz sentido que um ciclista da sua equipa ataque e lhe roube o triunfo final, ou faz mais sentido se este ficar no pelotão para ajudar o seu líder a vencer essa competição?

publicado por Ubicikrista às 23:30

20 de Março de 2013

FICÇÃO

Premindo uma vez liga, duas desliga... uma desliga, duas ligas…passado horas:

ops, nada! Tal como a “tia” novata de cascais a quem aconselharam a levar

um homem para o quarto que…passado horas:

- o “menino” decida-se, ou entra ou sai, esse vaivém constante perturba-me!

Ao rosa da granja as 10 da manhã pareciam-lhe ser já uma manobra arriscada para sair de bicicleta para um evento às 15 e 40, quando pelo meio havia pelo menos 120 km para lá, porque para cá, já tinha umas "luzes" de como se safar nos outros 120. A solução era ir de carro a refazer estas contas até uma distância possível. E o carro lá ficou em Estremoz. Uma hora antes do evento cada qual já preparava o melhor local onde fosse possível resgatar para a posteridade o acontecimento. Para trás ficara a interminável reta de portalegre, monte paleiros e a cereja dos 5 km depois de portagem. Chegada a hora e durante 20 minutos ei-los que começam a chegar aos magotes. O rosa da granja situado 50 metros depois de um risco no chão como validade de aviso simbólico, Já chega podem parar que se vos acabou o sofrimento, o rosa dizia, começou a caça aos bidões à medida que se amparavam nele ou a qualquer coisa imóvel que os impedisse de irem parar ao chão, incapazes de avançar mais um metro que fosse:

- não me digam nada (don´t tell me)

- ai que eu morro (i’m die men)

- ai ai ai (em qualquer língua)

Será isto uma forma de desporto ou de crime organizado em massa (grupos), submeter jovens de todo o mundo com cara de meninos de 20 anos, a pulsações de valores intermináveis desde a ponta dos pés até à ponta da língua?

Ao Mário, companheiro de similaridades


publicado por Ubicikrista às 22:02

10 de Março de 2013

Dona, o que é mais importante para o negócio, os seus primeiros clientes ou os últimos?

 - Os últimos, são muitos mais e ajudam-me a manter a vida que levo,

aos primeiros perdi-lhes o rasto.

A moda agora é mentir, para alguns, aldrabar dirão outros, ou enveredar por inverdades, a preferida.

É o gaspar que apenas se engana em 1% na recessão, mas que em termos reais é um engano de 100%.

Engana-se ele ou engana-nos a nós? Continuando.

publicado por Ubicikrista às 23:17

25 de Fevereiro de 2013

Às vezes há que dar o nome aos bois, pese este ser um local onde se procura dar destaque aos que se fazem notar por outras razões que não as dos que chegam primeiro ou andam mais que outros. Para isso existem as pautas classificativas das competições. As outras razões aqui válidas são o companheirismo ou aptidões em prol do grupo, seja na organização de provas, de notícias positivas ou de quem simplesmente empresta duas camaras de ar ou finalmente a quem começa uma recuperação de um treino mais cedo para fazer companhia a um ciclista que se atrasou.

publicado por Ubicikrista às 02:56

14 de Fevereiro de 2013

no artigo anterior com o pseudónimo Ciclistas das Palmeiras - Évora

opinou o que se transcreve:

"Não temos nada contra mas começamos a perceber que alguns estão a passar para um estado de loucura e vício que pode dar em pedirem à porta da igreja.

publicado por Ubicikrista às 03:21

10 de Fevereiro de 2013

Por um lado entrar no redondo (km 70) vindos da serra em menos de 2 horas, durante a etapa 3 da palmeira é inédito, porque nem perto disto se conseguiu (mas ao contrario) no granfondo eddy merckx.

Por outro lado o vento sempre foi e será considerado o melhor amigo do ciclista (se favorável), e em 105 km calha a todos (ou quase) enfrentar o bicho de caras. Ao carapinha calhou-lhe 100 km, cesar 90, phill 80, basilio 70, fitas 60, galacio 50, cebola 40, mataloto 30, nelson 20 e miguel 10.

Quando a brisa era ligeira e só nas descidas se imiscuiu (5 km) uma catrefada de restantes

NOTA: Aproveitando o tema "é a favor ou contra o relógio" (o uso), os aderentes aos fatores comuns das três últimas semanas: pluviosidade, cafeina e ares da serra, serão entrevistados durantes 34 km entre redondo­-évora por um dos insrumentos que aos de aguiar tanto irritam*:

godinho 10:19, piteira 10:20, mataloto 10:21, sarmento 10:22, cebola 10:23, mario 10:24 e amaral 10:25; costa 10:30, phill 10:32, fitas 10:34, carapinha 10:36, romão 10:38, basilio 10:40, nelson 10:42, miguel 10:44, cesar 10:46 e galacio 10:48. Depois, (o) caso sequeira cada minuto

*desempate: 1 dos 3 fatores + elevado

publicado por Ubicikrista às 14:29

03 de Fevereiro de 2013

O jogador de futebol Erwin Sanchez, campeão nacional pelo boavista,

chegou a acusar substancias estimulantes no seu organismo,

equivalentes a 38 cinbalinos (“bicas”, no resto do país)

Aos ciclistas de fim de semana o único doping permitido é o café do pequeno almoço uma vez que, para uns, pode não haver tempo para paragens e daí sobrarem moedas soltas nos bolsos.

Não obstante o vento forte, apurando-se as narinas no final da etapa 2 da palmeira, detetou-se resquícios de alto grau de cafeína emanado da respiração ofegante dos ciclistas, que traduzidos em percentagens de valores diários recomendados (VDR) acusaram:

galacio 100% VDR, cesar 90, nelson 80, basilio 70, fitas 60, miguel 50, romão 40, mario 30, carapinha 20 e piteirinha 10. Já quase sem respiração (audível), perdão sem hálito (5% de VDR), o phill, liaça, amaral, filipe, tomas, vasco, ludovico, mira, daniel, inaacio, gonçalo, calhau, teixeira, ricardão, diogo, carlos, inacio, magno, sobral, alexandre, peixe, sagorro, jacinto, jorge, nuno b, rosado, quim rosado, p.rosado, ribeiro, pires, brito...

Aos 2 de > % o vento afastou-os 2 seg, assim como afastou o de 10% dos da frente em 50, como consequencia das rajadas de vento terem soprado perto dos 37 km/h durante os 97.

publicado por Ubicikrista às 14:40

27 de Janeiro de 2013

NOTA PRÉVIA

Hoje a espanha sagrou-se campeã mundial de …andebol, vencendo a superpotência e atual campeã

da europa (dinamarca). Tendo o espetaculo demonstardo o nível mais elevado da alta competição.

O resultado … 35-19, mas podia ter sido 36-18. In meios de comunicação social

Pede-se imaginação para numa prova de ciclismo de 200 km, metade do pelotão ir a meio

do percurso quando o grupo da frente termina. É tão gira a competição entre profissionais.

 

A quantidade de precipitação pode ser medida em mililitros espremendo as capas dos sapatos no final da etapa 1 da palmeira, sabendo-se que quem mais depressa vai mais água apanha, assim: galacio 100 ml, miguel 90, romão 80, paulo 70, costa 60, amaral 50, nelson 40, sarmento 30, mario 20, godinho 10

Com 5 ml, mal se molhando portanto, uma quantidade de etecéteras: basilio, inaacio, fitas, ramalho, cebola, mendes, diogo, ricardão, carlos, massa, calhau, rosado, ribeiro, gonçalo, jacinto, …..

E levantaram vento na ordem dos 34 km/h, durante 95, com intervalos de 2 minutos para o de 80 ml e 3 seg depois deste para os de 60 para baixo

publicado por Ubicikrista às 17:34

18 de Janeiro de 2013

“a dopagem no ciclismo era tão normal como encher os pneus ou os bidões antes de uma etapa”

confissão de Bjarne Riis há 5 anos e também que venceu o Tour 1996 dopado com EPO

 

Para os espantados com as (poucas) declarações pormenorizadas de Armstrong, transcreve-se um marco histórico de um proscrito na altura, Jesus manzano - ciclista profissional da kelme (2000/2003)

Como era o plano de dopagem?

Dão-te um tratamento de um mês, mês e meio, no qual o método é de um dia sim um dia não, um dia sim um dia não, a porem-te EPO. Sobem-te a taxa de hematócrito aos 54, 55 e a seguir extraem-te 2 sacos de sangue de meio litro para mais tarde fazerem uma re-infusão na prova em frança

publicado por Ubicikrista às 22:09

11 de Janeiro de 2013

Sou um português desempregado da tv portuguesa desde que tive a ideia como estagiário de prolongar em direto as imagens do apedrejamento aos polícias e que tramaram o nuno santos da RTP. Ao contrário dele que ficou cá para ser ouvido pela ERC eu decidi aproveitar a oportunidade, há quem diga que é expulsão, que o meu país em crise me deu, por sugestão do vosso (já aí não estou) primeiro-ministro e do também “vosso” presidente da comissão europeia. Agora trabalho aqui para uma estação da tv americana que faz parte de um grupo de canais e programas, a OWN (pelas iniciais já se vê - a outra é de Network) propriedade e principal acionista da maior entrevistadora do mundo, a Oprah Winfrey, uma espécie de judite de sousa à americana, ou melhor a felícia cabrita do crime de investigação. Disponho de dinheiro a rodos para fazer subir as audiências – contrataram-me logo ao verem a nacionalidade no currículo, e porque constava lá que trabalhara num banco, o que é verdade pois sempre gostei da carpintaria como atividade lúdica.

publicado por Ubicikrista às 23:00

10 de Dezembro de 2012

Bem bebidos, perdão hic, embuídos (o CCE) no espírito da sua primeira época natalícia, infira-se: 

    *    sair para a estrada às 14 horas, só é possível com dois tipos de combustível: ou sim (pequeno

          almoço tardio) ou sopas (batido)
    *    lanchar às 3 e meia, em castelo medieval só pode ser tradição (que agora se recupera), do séc.19
    *    não é saudável subir às ameias do dito com pneus fininhos e piso húmido, na iminência de um

          paposeco, que segundo o acordo ortográfico, não é para comer mas para uma conversa fria, com

          vento seco e sem bebida (bater papo) 
    *    o sol de inverno obriga a andar aos apalpões à moça (entenda-se estrada) às cegas, mas o pai

          dela, um velho conhecido (percurso da igrejinha) é dos que não obrigam a casar. Por sorte

          ninguem se comprometeu com beijos ou outros avanços
    *    a vaca e o burro podem desaparecer a conselho papal, mas sem os três reis magos vindos de longe

          (elvas, viana e lisboa) o presépio não ficaria composto
    *    uma gravidez caseira não justifica o vício de ter que lançar mão ao instrumento todos os dias
    *    (a)fundar em simultâneo filhos e cadilhos (clube) 9 meses antes é arte mirabolante

    *    inadmissível é atirar a primeira pedra ao clube só para ele crescer mais forte
    *    em circunstancia alguma três canções chegarão para editar um CD
    *    na meta dos 50 já todos passaram (peso) há muito, uns chegarão lá com o tempo (idade), outros

          nas descidas (velocidade), mas em associativismo pensar tal (numero), era pura premonição 

    *    afinal a alexa(ndrina) é teresa e o alex(andrinho) é vicente

    *    os pastorinhos reunidos à volta da mesa (reguengos, reserva 2008) decidiram sobre o novo judas

          (que antes era messias), pese as instituçoes já negarem a sua existencia: Inocente (zé a direito),

          Nunca me enganou (espanhol), Todos tomam (Cêmauzinho) e, A UCI é o novo herodes (éJudite)

    *    presume-se hic, que a USADA se levar epo antes, hic, perdão o pó, é dos lóios

publicado por Ubicikrista às 19:29

03 de Novembro de 2012

País impoluto-farol da civilização ocidental

Pena de morte: único país da américa a aplicá-la, o mesmo clube da china, iraque, irão e a. saudita

 Ignorância: apenas 14% dos 300 milhões quer conhecer o mundo (tem passaporte)

Políticos:  uma vitima de “violação verdadeira” não engravida (todd akin) e que

a gravidez resultante de violação é “algo que deus quis” (richard mourdock)

Invadiram países árabes para propagar estes valores?

In, Jornais

FICÇÃO

Com que então a fazer batota no baile do cutilô nos últimos sete anos. Porque é que não vê o programa do gouxa na tv em vez de andar a deixar-se influenciar por filmes como aquele dos corais perdidos, um tal cocoon, é por isso que consegue dançar toda a noite com as senhoras e os outros nem lhe chegam aos calcanhares, assim é fácil ser rei do Baile estes anos todos. Não admira que até os seus colegas de grupo fizessem queixa de si, você só quer açambarcar títulos

publicado por Ubicikrista às 23:04

31 de Outubro de 2012

CARISMA

 heroísmo é transformar os desejos em realidades e as ideas em factos

in Alfonso Rodrigues Castelão

agora que o ti artur (santos) se jubilou o delmino (pereira) só se poderia rodear de seis dos melhores nas diversas vertentes que o ciclismo pode ter para poder continuar a evoluir

bastou um plano bem elaborado de como organizar devidamente uma prova de btt (taça de portugal - bikevora) para convencer o novo presidente a ser um dos eleitos e imputar-lhe a seu cargo o todo o btt, o ciclocrosse, o xto e afins, na tomada de posse do passado dia 22

numa altura em que finalmente muitos descobriram que havia/haverá gente com pés de barro a dar aos pedais, convém que o ciclismo prossiga com novos heróis que apresentem táticas de planeamento que contenham substâncias novas (know how), introduzindo produtos desconhecidos e inalcançáveis até ao momento para a maioria, disponibilizando-os para todos os amantes do ciclismo, mesmo que esse heroísmo se efetive a nível do dirigismo não deixa de ser um bom motivo de orgulho para os eborenses

PS: para começar, um seguro melhor (preço) para todos, dava jeito

publicado por Ubicikrista às 20:28

23 de Outubro de 2012

no artigo anterior um anónimo opinou o que se transcreve

"Curioso é que todos sabem, desde que o rapaz foi campeão do mundo, que lhe era permitido tomar certos produtos para o ajudar na recuperação do cancro. Situação semelhante aconteceu ao "rapaz que conta" quando lhe foi diagnosticado um problema cerebral. Mas podemos baixar mais ainda ao ponto daqueles, que de um dia para o outro, se tornam asmáticos, tal como o nosso famoso medalhado olímpico quando integrou uma equipa do pro tour.

publicado por Ubicikrista às 16:08

20 de Outubro de 2012

Avô, estás a comer pão com linguiça á boca cheia, amanhã nas análises

 os valores do sangue vão disparar e o medico vai cascar-te

- Não que eu logo á noite bebo um chá de alho e engano os resultados

 

Houve cá neto, há quem diga que o doping (no ciclismo) NÃO devia ser proibido, cada um tomava o que queria. E tal como na droga, se alguns morressem, paciência, há doenças que também matam.

Assim uns são caçados por não dizerem as estradas de má fama que frequentam (valverde), outros por um cagagésimo de uma dose num bife ao jantar (contador). Parece que agora a novidade é ir sacar às análises de dez anos antes, vestígios de algo que só seria proibido dois anos depois (EPO).

- Ó avô mas isso é o mesmo que o meu sogro acusar-me de ter relações extra conjugais antes de conhecer a minha futura esposa.

publicado por Ubicikrista às 00:39

06 de Outubro de 2012

Quando na estafeta solidária médicos do mundo, nos colocam cinco provas à disposição pelo preço de uma (5 euros pela inscrição), a dúvida que nos assalta (não tem a ver com o governo – por isso é que é uma ONG), é de participar nas 3 provas de todo o terreno ou nas 2 de estrada (seguidas)

Percurso 2 – os pedaleiras pela experiencia já adquirida nas 3 provas de cicloturismo anteriores, sabem bem quando acelerar (nas retas), abrandar (antes das localidades) ou esperar (no abastecimento)

Obs: o cebola deve ter feito o melhor treino da época… como mecânico (2 camaras de ar com furos), mas o ti chico, quase na casa dos 80 (-3), que veio de montemor, nem por uma vez descolou do grupo

Percurso 3 – O ccevora que vem de um desafio com cerca de 3 dezenas excursionistas para o algarve (não para a praia) no bikevora2012-vrsantonio, despachou ritmos (média final de quase 34 km/h) que quase dispensavam os batedores, nas alturas em que apenas ocupavam a faixa da berma

Obs: o raposo ainda não tem quem o bata a fazer meio fundo atrás dos popós (ex-fumava-se nas subidas, mas nas retas reaparecia lá na frente como por milagre), tal como a Evora Desporto TV (min 5:30 ao 9:30)

publicado por Ubicikrista às 18:48

mais sobre nós
encontrar qualquer artigo por palavra ex: pudalari
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Maio 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
23
24
25
26
27

28
29
30
31


Arquivos
2017:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2016:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2015:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2014:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2013:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2012:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2011:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2010:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2009:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


favorito
Contador (não o alberto) de visitas
subscrever feeds
blogs SAPO