16 de Agosto de 2010

Ano e meio depois, os 20% do total de um percurso, voltou a ser respeitado. Tempos houve em que era 50%, 50%. Nestes últimos 18 meses, invariavelmente 100%, ou perto disso. Quem não se cumprimentasse à partida nem sabia quem estaria ou não presente. Durante anos discutíramos qual a melhor percentagem para andamento livre e para o andamento em grupo. Os tais 20% x 80% dessa altura recuperaram-se hoje.

Considerando que nos setores de andamento não livre (quando todos do grupo acompanham), está incluído Portel-Oriola (15 km) e Torre X Czto Reguengos (13 Km) a média horaria foi de 40, e de 41,5 durante 19 minutos para o 2º caso, digamos que as mentes prometem no futuro.

Já Viana-Evora, 28 km em 40 minutos – parecendo coisa de profissionais–, para os mais dotados, à média de 42, fez parte dos 20% livres.

Segue-se uma amostra de um setor de 80%, com 39º de calorina

 

publicado por Ubicikrista às 09:37

Desmotivado:
Ola treinador! No domingo (15 agosto) fiquei mesmo desmotivado, triste, e sei la mais o quê, por ter ficado para tras. vi os da frente a abalarem e pensar que ja andei com eles na frente. Não querendo desvalorizar ninguem, mas nem o sr. ribeiro consegui acompanhar. estou mesmo mal. Esta grande baixa de forma deve-se ao ultimo mes, não ter possibilidade de ter treinado muito e nas ultimas 2 semanas nem sequer tive tempo de tocar na bici. Mas tambem nunca pensei de me ir tanto a baixo. talvez à minha baixa forma se junte a falta de alimentação, daquele dia. Seja como for não quero tornar campeão mas quero recuperar um andamento que possa acompanhar o pelotão. O que me recomenda? Estou a andar 1h30 a 2h. ando todos os dias? Pedalo com cadencia media/alta até 160bmp. até quando faço isto? O que se pode fazer de diferente deste treino? aguardo uma resposta fique bem
23 de Agosto de 2010 às 19:36

Treina a Dor:
Não há razões para tanto desalento. Até porque algumas já estão por ti identificadas: Falta de treino e de alimentação e se juntar-mos a desidratação e a velocidade, ficamos perante um desfalecimento, que os espanhóis chamam pajara. Perante isto só há uma coisa a fazer: esquecer. Uma vez na vida assim, calha a todos.
Relativamente ao treino recomendamos também, esquecer o pulso. Quem quer cadencia para as subidas é dar-lhe entre 100 e 115 pedaladas por minuto. Se não tiveres um medidor, olhas para o ponteiro dos segundos, e quando este chega às dezenas contas quantas vezes levantas o joelho, o direito por exemplo, até à dezena seguinte dos segundos. Entre 17 e 20 é o ideal. Se multiplicares o valor obtido por 6, por exemplo 18, terás então 108 pedaladas por minuto.
Nunca especificamos o treino na falta de dados. Quando precisas de atingir o pico da forma? 15 dias? Queres subir melhor? Rolares? Sprintar?
Aconselhamos-te a treinares como gostas, mas reserva um dia para umas séries (3 ou 4) de 5 ou 10 minutos mais fortes, tendo o cuidado de recuperares plenamente entre elas, i.é. multiplicas por 5 o tempo de recuperação entre séries. Assim numa série de 4 minutos, só deves fazer a seguinte depois de 20 minutos (4x5) a “passear a vaca”. Não obstante iremos elaborar um artigo para, a partir de zero, nos pormos em forma em 7 semanas.
23 de Agosto de 2010 às 22:16

Dez Motivado:
Ola treinador!
Apesar de ja somar uns 15 anos de biciclista amador ou sei lá o quê, estou sempre a aprender. Ja vi que o meu amigo é um entendido na materia, e explica bem.
Portanto aqui em braga o terreno é subir e mais subir. Tenho treinado praticamnte dia sim dia não, a fazer 2h com bmp entre os 160 e os 180. tendo em conta que 160 mal me sinto cansado, e aos 180 a respiração ja da bom sinal e se fôr uma serie em subida que é o que tenho feito não aguento muito. Tambem é verdade que não tenho tomado atenção ao tempo que estou aos 180. No entanto se aperto facilmente vou aos 190bpm. A ultima vez que falamos a sua indicação era andar ate aos 160 bmp e é o que tenho feito.
Sinceramente ja me sinto um pouco melhor nas diarias de 2h. recupero bem entre subidas e não fico estourado. fico bem. Sinto que estou no bom caminho. tenho feito a subida do bom jesus, meio asfalto meia terra, demoro 28min a subir. É uma subida continua sempre inclinada, tem varias rampas. varia entre os 7% e os 15%.
Aqui tambem faz calor, alimentado e bebido sinto-me bem.
No domingo vou andar com voces, vou ver se evoluí alguma coisa. Pelo menos para acompanhar o pelotão.
Por natureza quando sinto que estou a andar bem, referente ao pessoal dos domingos, sinto-me bem a subir. Sinto que tenho perfil de trepador. Noto isso quando estou bem nas subidas não quebro. A minha cadencia em geral é media. Nem muita alta nem baixa.
O meu interesse é estar no meu normal, subir bem (aceitavel) para a concorrencia dos domingos. Ha uns tempos atras fazia o bigode à figuras Mitológicas - faustos, passaros e demais gaba Rolas. via que eles me marcavam. Foi quando me começaram a chamar shereck.
Bem o mais importante é estar a um nivel razoavel em relação ao pessoal, nas subidas.
abraço. até domingo
fique bem
26 de Agosto de 2010 às 01:12

Treina a Dor:
Não podes querer sal na eira e água no nabal. Ou seja, treinas em subida durante a semana, chegas cá ao domingo e papas com terrenos planos com grandes andamentos, logo não te aguentas. Teoricamente devias quebrar no plano e não nas pequenas subidas. Devias, mas na pratica, vamos dizer-te porque é que quebras.
Imaginando que estarias a fazer (não estás, só treinas subidas) as mesmas séries das subidas para o terreno plano, que aspetos diferentes estarias a treinar:
O treino no plano, controlado por pulsómetro não é outra coisa senão a forma de fabricar artificialmente um percurso, quer dizer, se planeias fazer 6 series de 1' a 170/mim e descansar até às 100/min, é como se estivesses a treinar num circuito com 6 subidas e com um tempo de recuperação adaptado às tuas necessidades, mas como isso não existe, limitas-te a controlar as series sejam no plano ou em subida (eu dantes aproveitava a subida, de 1 minuto, do Monte do Escrivão, por detrás campo da bola de Guadalupe no caminho para Valverde).
Haveria diferenças, isto porque:
A- A serie no plano faz-se com prato grande com muita rotação e sentado.
A serie em subida faz-se a uma menor cadencia e de pé ou sentado segundo seja a inclinação (aconselho 10 seg. de pé e 50 sentado).
Isto faz com que, no plano, trabalhes a Velocidade Potencia e que na montanha trabalhes a Potencia Força, que como vês são coisas distintas
B- A recuperação nas séries em plano, faz-se pedalando suave e as das subidas será sem pedalar.
A recuperação completa numa serie leva-te a um aumento de massa muscular e a incompleta a uma melhoria do sistema cardiovascular de competição.

Abç

27 de Agosto de 2010 às 01:18

# 31 #:
Vida santa!

As aves raras e os seres místicos do ciclismo eborence realmente conseguem de uma forma geral estar bem o ano inteiro.
Os horarios diarios são certinhos e santos. A hora de pedalar é sempre a mesma. A comunicação entre aves e seres misticos é feita nos bastidores onde ninguem os ouve, e aí estudam tacticas e analisam quem irá ser o homem a ser marcado na volta solene dos domingos.
Ao longo do ano, passam as horas a pensar como evoluir, passam as semanas a ver quem pode ser o melhor companheiro, para mostrar serviço ou por outro lado um companheiro que está bem cotado no mercado e ser visto com essa pessoa é sinónimo de estar a andar bem. Passam os anos e estão na mesma. Vão às corridas mas ficam longe das taças. Ora uma pessoa fica a pensar. Andam estes seres sempre a pensar como chegar à frente e no fundo só mostram serviço aos domingos, perante um grupo que gosta de andar de bicicleta e não tem ambições de competições.
Deixem-se disso ómem?!
Há seres místicos que há uns anos atras nem sabiam o que era uma bicicleta, para quê estarem agora a dar uma de campeões.
É certo que todos nós seres místicos gostamos de atingir uma certa performance, com algumas tacticas tentar passar bem, divertir-nos à mistura com uma certa picaria saudavel entre conhecidos.
Não vejo é a necessidade de haver aves e tubarões a destabilizar os macacos que só querem dar uma volta, que encaram as bicicletas com humildade e não com tesões do mijo que daqui a uns tempos já nem podem olhar para a bicicleta, devido à intensidade que viveram a coisa.
Se querem de facto andar bem e dar nas vistas, têm de sair daqui. Têm de continuar com o investimento pessoal e ir pedalar para outros locais do país, disputar o nacional, fazer provas noutros locais. Porque assim não passam dos herois da rua das garagens.

Fiquem bem
Boas pedalas

mais sobre nós
encontrar qualquer artigo por palavra ex: pudalari
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Agosto 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
17
18
19
20
21

22
23
25
26
27
28

29
30


Arquivos
2018:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2017:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2016:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2015:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2014:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2013:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2012:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2011:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2010:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2009:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


favorito
blogs SAPO