24 de Outubro de 2010

Ao ler que vários desportistas entre eles ciclistas, alguns do pelotão internacional, tinham aderido á moda das pulseiras holográficas é coisa que não me torce nem me amolga, mas ver um companheiro enfardar com duas para o bornal, durante a visita ao pavilhão da VII edição do festival bike de Santarém é coisa que já me pode tirar o sono. i.é. lá longe tanto se me dá, mas cá ao pé não posso ficar de mãos nos bolsos e bico calado. Assim:

Eis-me a magicar como explicar ao pessoal, não como alguns, que os hologramas emitem tanta radiação eletromagnética quanto uns pedais de carbono, um bocado de papel para limpar o ranho ou o rabiosque (por esta ordem, não a outra) ou ainda o corpanzil dos que nos rodeiam. A marosca começa assim:

Arranjam-se, nos vários sites, os depoimentos de personagens famosos que supostamente usam o produto (a troco de pipas de €€€), CR7 em Portugal, Barichelo no Brasil e Shaquille o´Neal nos EUA, entre outros, conseguindo assim enganar uma porrada de jovens desportistas.

Lembra-se das pulseiras magnéticas? Agora a fraude chega revestida de hi-tech, já não se trata de metal mas de neoprene e silicone, e o poder curativo não emana da magnetite mas dos hologramas. Os ímanes nas bolas já não curam, agora é a vez das fotografias tridimensionais (tem o mesmo efeito se cortarem o holograma de um cartão de credito que já não usem).

Depois é só lá meter a palavra power e termos científicos: quântico, frequência, electrónicos, físicos, orgânicos, e pronto só falta a cereja, que é refereir que foi criado por um cientista da NASA (que não existe), para dar credibilidade ao produto, et voilá. A ingenuidade tem limites. Mas chega de dizer mal e passemos à ação. Esmifremos então um desenho, dividindo a coisa em 3 partes:

a mental e a moda

demonstração física

a cientifica

A nossa mente tem um poder estranho sobre o físico. Se mal não faz, cabe a cada um de nós decidir se estamos dispostos a dar 30 euros por ela, mesmo sabendo que estamos a encher os bolsos e a contribuir para a riqueza de alguém, algures nos EUA, sobretudo.”Pois, mas toda gente a usa porque está na moda”, dirão alguns. A minha recomendação para estes é: os chinocas tem umas coisas parecidas e custam só 2 aérios, não são é power-balance, infinite ou power body.

O teste do equilíbrio tem mais barbas que o bigode do Simplício e sempre se utilizou ao longo do tempo noutros produtos. Mas tem uma explicação científica, que eu mesmo a dou: o ângulo como é exercida a pressão. Se na vertical, de cima para baixo (a pessoa equilibra-se). Se a pressão for feita em ângulo ou inclinada (a pessoa desequilibra-se), independente de ter ou não no pulso/mão a dita cuja.

Na explicação técnica, da parte cientifica retiro-me e dou lugar a quem sabe, por exemplo o professor de Física da Universidade de Coimbra, Carlos Fiolhais que alerta:

Estes termos são uma confusão de palavras que, embora isoladas, possam, nalguns casos, fazer sentido, no seu conjunto não fazem sentido nenhum”.

“O termo ‘energia quântica’ não significa nada. Só existem quatro formas de energia ligadas às quatro forças fundamentais que se conhecem: a gravítica, a electromagnética, a nuclear forte e a nuclear fraca. Na teoria quântica – que nos permite entender os constituintes fundamentais da matéria – podem entrar os três últimos tipos de força mas nada disto tem a ver com pulseiras”.

“Do ponto de vista da Física não há nenhuma razão para acreditar nos efeitos”, adianta outro especialista. Um estudo da Universidade Politécnica de Madrid concluiu: “as pulseiras Power-Balance não apresentam nenhum efeito sobre o equilíbrio”.

Existem determinadas substâncias ou amuletos que não têm nenhum ingrediente activo mas que ao usarmos e acreditarmos que nos faz bem os resultados serão positivos. É o efeito placebo. A pessoa ainda se sente melhor do que tomando algo que poderia realmente fazer bem”, Américo Baptista, psicólogo.

Quem não andar com a pulseira e a usar mas não melhorar é considerado bizarro ou anormal”.

Autoconvencemo-nos, que a bem da saúde, a tentação de experimentar é maior. Cuá, cuá…

publicado por Ubicikrista às 22:47

mais sobre nós
encontrar qualquer artigo por palavra ex: pudalari
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Outubro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
13
14
15
16

17
19
20

26
27
28
29
30

31


Arquivos
2018:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2017:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2016:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2015:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2014:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2013:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2012:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2011:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2010:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2009:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


favorito
blogs SAPO