13 de Março de 2011

Azervadinha – centenas de metros intermináveis de "pavê" ao km 55 teve aspeto de massagem indesejada antes de tempo. Vai ser sempre a aviar e, em pedaleira grande, cada vez que aqui passarmos para os futuros brevets.

Bolsas – 3 sandes de queijo e fiambre, 6 barritas (uma por cada hora) e 2 bananas, 1 gel de frutas e 1 cubo de marmelada, que ficou pelo caminho á pala do colete, é muito material para tão pouco espaço, ou então colocar uma bolsa por debaixo do selim. Outra opção de um dos nossos foi levar o mínimo, bater uns bolinhos nos cafés, e malhar uma sopa com uma bifana em v.novas, que já eram horas disso.

Cabo – dever-se-ia chamar reta do cabo… das tormentas. Só de pensar que temos que lá passar futuramente mais algumas vezes no regresso, com o dobro, triplo ou quadruplo dos kms nas pernas, até dá arrepios, não de frio (que se aproxima o verão) mas do vento. As suas bermas fazem lembrar os alcoólicos quando andam vários dias a apanhá-las, são camadas em cima de camadas de alcatrão desnivelado, mas que se contornam com devida atenção. Nada comparado á força do vento que soprava frontal e lateral.

publicado por Ubicikrista às 23:13

mais sobre nós
encontrar qualquer artigo por palavra ex: pudalari
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Março 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
11
12

14
15
16
17
18
19

21
22
23
24
25
26

27
28
30
31


Arquivos
2017:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2016:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2015:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2014:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2013:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2012:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2011:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2010:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2009:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


favorito
subscrever feeds
blogs SAPO