16 de Setembro de 2011

Participar em provas de cicloturismo é como fazer uma açorda. Mas este 3º passeio dos pedaleiras incluido no bikévora 2011 é inédito mais uma vez, por que se o do ano anterior teve 15% de andamento livre, o de 2011 terá 25% e poderá inda incluir como bónus, quase no final, a ladeira da boa morte. É canja, melhor dito, açorda. Como tal fácil de fazer e dá pouco trabalho (a inscrição), a avaliar pelo que dizem os vizinhos (o grupo coral e instrumental "os amigos da malagueira"):

publicado por Ubicikrista às 01:34

05 de Outubro de 2010

PODOMETRIA - A bicicleta e o ciclismo

O BIKEFITTING, é um programa que adapta as medidas

corporais dos ciclistas à bicicleta


O Ricardo aproveitou-se do “doping” tecnológico que o Dr Gerardo da Clinica Podotec, horas antes lhe implantara, para abusivamente ter o privilégio de escolher o melhor sitio, para estacionar a baique, na chegada á ponte. Felizmente existem os furos para repor alguma verdade no desporto.

Outro sim, o único que fez o trabalho de casa pós colóquio, recorreu às mezinhas caseiras – recuando as ditas ou/ao callas no sapato – e veio de Monsaraz apanhando todo o lixo que outros iam largando pelo caminho, e ainda lhes mostrou nos últimos metros para que serve o corpo quando não se é manequim.

É que nessas horas antes, deu raiva saber que há manequins no ciclismo que pesam 27 anos e têm 64 quilos de idade, quando a maioria (nós) temos 64 anos e pesamos para cima de 27 qualquer coisa de índice de massa corporal.

Passada a nossa revolta inicial, o insigne podologista desportivo a nível mundial, cuja presença, só foi possível pela amizade com o presidente do sto antónio, pregou com o manequim em cima da bicicleta e mandou-o, calculem, pedalar, mas antes meteu-lhe uma fita electrónica, dentro dos sapatos, ligada a um computador. Pôde (podemos) ver assim, o modo como ao longo da planta do pé se distribuí a pressão da pedalada, e intuímos:

1 – Quem tem joanetes, nem vos digo, é uma desgraça em termos de apoio incorreto do pé (60 €)

2 – Todos temos pés de pássaro no poleiro, ao enrolarmos os dedos, quando as travessas estão demasiado avançadas (nós 0 €)

3 – Nem só de patologias nos pés vive o ciclista, mas essas influem nas dos joelhos, das ancas e coluna (~ 370)

4 – Que há palmilhas de carbono que nos custam os olhos dos calos (~ 180)

publicado por Ubicikrista às 23:53

04 de Outubro de 2010

O nuno pedaleira revelou-se um anfitrião de primeira, de estalo, ou melhor, de palmas e teve direito a coro (coiro).

Exemplificando: digamos que nos descuidámos mas deixámos aqui um cheirinho

Horas antes, temia-se chuva na zona mais pluviosa dos arrabaldes da cidade, por onde teríamos necessariamente que passar, mas foi o vento o grande causador de estragos e de medo no pelotão, sobretudo os de rodinhas com algum perfil.

Louvor: quantos, seria interessante saber, betetistas experimentaram pela primeira vez, uma baique de estrada?

publicado por Ubicikrista às 00:28

02 de Outubro de 2010

Destaques:

1 - Organização

Ao luís guégués e ao filipe salvado que ao encabeçaram um grupo extraordinário, permitiu às forças de segurança e aos funcionários camarários dominar um transito caótico (não houve ninguém em Évora que não saísse com o carro para a estrada entre as 15 e as 17 horas. Teimosos e emburcalhados como sempre)

2 - Ciclistas da terra

Ao luís romão, que ao atacar logo ás portas de alconchel, ganhou a 1ª meta volante, e abriu as bases para a sua equipa poder voltar a atacar e dominar toda a corrida a seu belo prazer, sendo ainda o vencedor da taça de portugal - somatório das várias provas -  na sua categoria. Ao ezequiel que deixou cair o bidão, ficando seco à segunda passagem nas piscinas, vindo a imitar este algumas voltas depois, ou então precisou de levantar dinheiro, pois ali só há multibancos. Ao césar que levou um raspanete do seu chefe de fila, porque cometeu o crime de na sua cidade, e durante três voltas andar na cabeça do pelotão, não deixar a fuga passar dos dois minutos. Ao romão que pagou caro a ousadia de querer escapar no alto de s.bento, vindo a pagar a fatura com o pelotão a 100 metros durante três voltas, mas a sua recolagem levalo-ia ao 2º lugar do podio na sua categoria.

Ps: se notarem a falta de paralelos na calçada, que ninguém se ofenda. Vejam nos troféus que foi por uma boa causa. Portantos...

publicado por Ubicikrista às 19:09

20 de Setembro de 2010

Com os craques espalhados pelos cabeços da tourega, ruma(o)ndo sem rei mas com rainha(s) e com um ou muitos arma(n)do-se em remendador de camaras de ar, restou-nos aos unidos brincar ao ciclismo de antão. Se houvesse um jornalista imaginário a assistir, teria dito, talvez escrito, ou mesmo relatado os momentos por palavras tais:

“O  percurso, com as suas pequenas subidas, foi verdadeiramente elétrico e tal como os carteiristas no metro, há ciclistas (há helderes, não ladrões) que se sentem confortáveis no seu meio ambiente, quando o ritmo (sem travagens mas com o tal para*, arranca que dá para a malta recolar e ir fazendo brilharetes) é feito de repelões.”

*é mesmo assim pelo Acordo

Como em tudo na vida há sempre privilegiados (a mim a minha mãe nunca me deixou andar de bicicleta no jardim, para não lhe estragar os canteiros com os pedais, mas a mãe destes, a câmara, sim), 547 ao certo - 349 nos 55, 140 na taça e 58 nos 85:

video completado


publicado por Ubicikrista às 00:29

19 de Setembro de 2010

Dia 3 de Outubro, prova de masters, a passar (7 x) pelo Praça Giraldo,

Av S.Sebastião, rotunda Torregela, rampa do Lago, conduta, Piscinas,

Alto de S.Bento (lado), Casa Pia, arco Cartuxa, palmeiras, rot. Aviz,

rot. Mobil, Bombeiros, Rossio, Rua Republica.

Organização: GD Os Dianas


Durante o Inverno no troféu BTE, ouviu-se:

-  Vai Fanísca.

- Força Bombas.

Os incentivos aos ciclistas sempre caíram em saco roto, pelos menos aqui no Alentejo, por não haver montanhas. A malta bate palmas ou grita qualquer coisa sem nexo e quando vai a ver já eles passaram, seja na Volta ao Alentejo ou a Portugal (raro). Era assim, mas com o BTT tudo mudou, pois numa curva ou subida podemos incentivá-los, incutindo-lhes na alma uma vontade extraordinária para o resto da prova, que os motivará quando as forças começarem a faltar no final, gritando-lhe algo genuíno e verdadeiramente alentejano:

- Na vales nada!

Mas os incentivos não são só exclusividade do ciclismo, podem vir de onde menos se espera, vejamos:

Em Guadalupe, há 50 anos a esposa, em fase de lua-de-mel caseira, recebeu notificação verbal por parte das mulheres do bairro, para libertar o marido, o único guarda-redes. O amor era tão grande que ela se foi colocar por detrás da baliza contra o S.Sebastião, e cada vez que havia perigo nas imediações, agarrava nas saias e com o nervosismo subia-as para cobrir o rosto, enquanto repetia apavorada:

- Ai que entra, ai que entra!

Nos anos 90, os Salesianos inauguraram uma coisa fabulosa chamada Olimpíadas, a ser disputada entre todos os alunos. Numa corrida de duas voltas ao parque de jogos, um miúdo de 8 anos franzino, num forcing final, ultrapassa dois matulões de 10 anos. Subitamente no meio do público, uma senhora exulta aos pulos. Beija uma velhota à sua frente e virando-se de imediato abraça o homem que está ao seu lado, enquanto da sua voz sai a frase trémula de emoção: É o meu filho. O homem surpreendido pelo comportamento da senhora sorri e calmamente diz:

- Eu sei! Também é meu.

Mães assim, porque há outras, só vi a dos irmãos Hugo (Porto-Andebol) e Nuno (Juventude-Futebol), ninguém mais torce assim por um guarda-redes. O pai de quem marca, grita golo, na bancada. Mas, se o filho isolado deixa que o guarda-redes defenda, o publico na bancada levanta-se e em uníssono diz Oh, seguido de gestos de desalento, enquanto uns alcunham o avançado e outros dizem palavrões. Mas no meio desta exaltação, ouve-se um punho a bater no ar, tal como quando pomos um visto num papel mas com o movimento da mão inverso. E de uma voz feminina quase impercetível sai um seco e solitário:

- BOA.

Á mãe do Vitor

Ao Bruno e Sara pela Leonor

Ao Ricardo, bom rapaz, felicidades


publicado por Ubicikrista às 00:37

mais sobre nós
encontrar qualquer artigo por palavra ex: pudalari
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Dezembro 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
25
26
27
28
29

30
31


Arquivos
2018:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2017:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2016:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2015:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2014:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2013:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2012:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2011:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2010:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2009:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


favorito
blogs SAPO