30 de Maio de 2011

ABC prático do ciclismo

“Em Espanha é só facilidades e em Portugal é um atraso

de vida e não há clarificação na regulamentação”

Lá fomos nós testar esta máxima popular. E surpresa! Não é verdade. Explicando:

Na sexta-feira seguinte ao brevet dos 400 kms jantar entre os envolvidos para rescaldo do mesmo e eventual participação no de 600.

Um: isto é muito caro, se calhar não vou.

Outro aluga-se uma carrinha e fica barato

E mais um: já aluguei algumas e fica caro

E mais outro: ju(a)ntamos outra vez para semana.

Até hoje. Tudo em águas de bacalhau (em vez de à lagareiro)

Chegada a hora a decisão, para quem se inscreveu, era carro próprio com motorista de ir e voltar sem descanso e com portagens, uma vez que o regulamento dos brevets refere autonomia completa e não aceita assistência. Ou a CP, por sugestão de colega.

Por interdição momentânea da linha do sul, automóvel até á Gare do Oriente (truque aprendido com um espanhol, quando é preciso dormir um bocado no regresso, reabastecer de comida ou mudar de farpela).

- Bilhete direto para Viana do Castelo, por favor.

- È melhor comprar só até ao Porto e são 30 euros.

- Tenho bicicleta!?.

- Tem que ir devidamente acondicionada.

Foi a primeira vez que interiorizámos o verdadeiro sentido de tal palavra, depois de um telefonema dias antes para os serviços de apoio ao utente, em vez de recorrermos aos emails, mas após pesquisa atempada ao que outros com objetivos semelhantes reclamaram.

Alem de outras, a palavra mais usual sempre fora “devidamente embalada”. Daí a aquisição, na véspera, de um rolo de sacos de plástico do lixo a um chinês (viriam a servir para pequenos descansos à beira da estrada ou aquecer o corpo durante a noite).

                       ALFA pendular

Acondicionar significa meter num dos vários locais que este comboio dispõe. A saber:

      *    debaixo do assento
      *    no compartimento por cima das cabeças, como nos aviões
      *    nas prateleiras para bagagens de grande porte existentes entre carruagens

Permite ainda outros, sem especificar o local, desde que não impeça a passagem.

Face ao regulamentado, solução simples: rodas atiradas para um lado e quadro metido no compartimento das malas (com o selim retirado ficaria melhor acondicionada. Uma das rodas serviu de apoio ao selim para impedir que o quadro tombasse para o corredor. A outra foi metida atrás do banco, o ultimo dessa carruagem).

                      Urbano

Pode ir montada e encostada em qualquer local ou ao lado do passageiro, desde que não impeça a passagem (perguntei ao revisor para que lado seria a saída, respondeu que normalmente é sempre no mesmo lado da entrada, tendo-a encostado à porta frontal de saída. Funcionou assim excepto na única vez que passei momentaneamente pelas brasas e 5 segundos depois alguém a encostara a um banco, porque o local de entrada de passageiros naquela estação mudara)

                      Regional

Uma maravilha. Onde outrora existia um compartimento para as grandes bagagens, existem, só na primeira carruagem, grampos de garagem, onde se penduram as “meninas”. Um regalo e um descanso (neste caso quatro. Caso o grupo fosse maior, negociar com o revisor ou, que remédio, repartir o pessoal pelos próximos comboios).

publicado por Ubicikrista às 22:29

03 de Junho de 2010

ABC prático do ciclismo

"Aprendemos a falar para nos podermos desculpar", in o meu pai

Fenomenal!

Como dizia o outro No Comments, ou melhor Comantes sim senhor.

Alguns treinadores de ciclismo e outros tantos livros sobre o mesmo, levam uma vida inteira e paginas e paginas a tentar explicar tática. Mas por vezes surgem imagens que nos deixam sem palavras, é a usual prima do mestre de obras, não confundir com a Obra Prima do Mestre, ou com a ordem do mestre: obra, prima! Mas já agora não, digo eu.

Nota: Quantas vezes com as travagens e acelerações se roçam rodas uns nos outros, sempre que alguém ataca na frente e responde tudo ao monte até caçar o engraçadinho. Quando na verdade cada um per si, à vez, é que decide ou não gastar-se, e não o grupo todo.

Vejamos um exemplo fabulástico:

 

publicado por Ubicikrista às 02:07

26 de Outubro de 2009

Na reunião de ontem do grupo decidiram os presentes (1 pessoa) que o percurso por dentro da vila dos tapetes será retirado no futuro, de forma a não se promoverem despiques, a menos que seja feito em conjunto com espera na rotunda. Há ainda dois locais de alerta máximo:

No cruzamento da Igrejinha para Vale Pereiro, porque existe um muro à esquerda que tapa a visibilidade. O outro é a descer antes dos sinais de transito nas Ilhas, pois pode estar vermelho ou algum carro querer virar à esquerda ou direita. A rever a outra cidade com 3 sinais.

Se com alguma confusão a coisa se fez (mal) no primeiro, neste ultimo aconteceu mesmo... asfalto. Não pode ser só a policia a apelar à segurança.

Ob: A paisagem que o Alentejo deixa para trás é mesmo gira.

publicado por Ubicikrista às 02:05

16 de Outubro de 2009

ABC prático do ciclismo

 

As fugas uma vezes resultam, outras não...depende da distração ou da vontade

 

publicado por Ubicikrista às 01:15

14 de Outubro de 2009

ABC prático do ciclismo

Numa chegada há de tudo, arranjámos uns bodes respiratórios a servir de manequins...

publicado por Ubicikrista às 02:32

mais sobre nós
encontrar qualquer artigo por palavra ex: pudalari
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Dezembro 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
25
26
27
28
29

30
31


Arquivos
2018:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2017:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2016:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2015:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2014:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2013:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2012:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2011:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2010:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2009:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


favorito
subscrever feeds
blogs SAPO