20 de Junho de 2012

Quando a sogra lhe morreu o amigo perguntou:

Como é que fazemos, enterramos ou cremamos?

- As duas coisas. Não podemos facilitar!

 

As mulheres sempre se intrigaram sobre o que falam os maridos ciclistas durante as pausas nos seus despiques dominicais, no período chamado repouso do guerreiro. Pela cumplicidade demonstrada pelas senhoras na recente cova onde se iria, transcreve-se um precedente:

- estou tão estafado que mal chegue a casa vou dar uma sova no sofá

- para recuperares nada melhor que um banho submerso em agua fria até à cintura

- eu até tenho lá uma banheira enorme a jacto que nunca usei, dá para 3 pessoas

- podes sempre tentar enche-la com 2 raparigas

- uma já eu lá tenho, Na verdade agora até lá está a irmã

- epá, tu és casado? Se calhar é melhor não gravar esta conversa

- sou mas ela sabe que isto é verdade

- bom (disfarçando), olha ali uma águia

PS: o mário que recentemente participou no santarem-serra e praias, esqueceu-se de mencionar na sua pagina, de aí ter privado com ilustres pioneiros da caça aos kms como o canas (genial descrição de um brevet de 400 km ), o almeida [pad(ro)eiro], o ratinho ou o rosado entre outros.

publicado por Ubicikrista às 22:58

06 de Fevereiro de 2010

FICÇÃO

Sugiro veementemente a Vossa Excelência que procure receber contribuições inusitadas

no orifício cocorado, do qual é proprietário, sito na região sacro-ilíaca

- do meu amigo Vasco, se alguma vez se zangar

 

A determinação com que um ciclista isolado pedala para a meta, por vezes já todo roto, é coisa que nos espanta sempre. Mas, e a determinação das mulheres? E se essas mulheres forem as esposas dos ciclistas? Vejamos. Voluntarina é uma esposa tão determinada que raramente dá o braço a torcer, pelo contrário. A sua determinação ficou bem patente enquanto ela esperava pela fisga da persiana da janela da sala, que o marido chegasse de mais um Évora-Caparica, quando lhe pareceu ver um vulto no quintal. Aproximou-se por detrás e sem fazer barulho, deitou-lhe a mão às partes baixas enquanto perguntava: quem é você. Não tendo obtido resposta, determinada, apertou com mais força e insistiu: quem é você. Nada. Já com pedaços de pele entre as unhas dos dedos, fez um ultimato. Finalmente o vulto explicou-se:

- Sou o mudo!

Voluntarina não é assim com todos. Com o seu marido, a quem os amigos chamam Pedal de Prata, para ela o seu PêPê, apenas lhe ralha por este ser teimoso em não querer admitir que é por ele que se atrasam sempre durante a semana para o emprego, mas que para andar de bicicleta todos os domingos e feriados até se levanta meia hora antes. Ele não concorda e acha que é é determinado, afinal ele é apenas um homem adaptado aos tempos modernos e à correria da vida, e para o provar levanta-se sempre com determinação cinco minutos antes de saírem de casa. Desfaz a barba com a máquina numa mão enquanto come uma maçã com a outra, a seguir escova os dentes enquanto com a outra mão faz o xixi matinal. Por vezes já tem feito amor com a mulher enquanto penteia a sua farta calvície.

Voluntarina, como qualquer mulher ou esposa, parece ter mais tempo para pensar, e num desses domingos em que Pedal de Prata, depois de 4 horas a pedalar até Monsaraz, quando se preparava para o duche retemperador, reparou num letreiro por cima da sanita a lembrar-lhe que ali se deve urinar sentado. Foi com um grito de horror da esposa que, 2 minutos depois, quando esta ia buscar a camisola interior suada, as meias e os calções (cuecas não, que não é material que ciclista use), para meter tudo na máquina de lavar, deparou com ele, meio sentado, mais para o deitado, no chão da casa de banho, a um metro da sanita e dali a tentar acertar lá dentro, num rigoroso exercício de cumprimento de ordens escritas, que ele não queria desobedecer, pois uma vez já tentara o divórcio indo mesmo a Tribunal. O Juiz até lhe pediu para lhe dizer qual o motivo para se querer divorciar da esposa (da esposa pois – ainda este ano se esperam divórcios de esposos). Meio envergonhado lá respondeu que ela o tratava como se fosse um cão! Mas, insistia o Juiz, maltrata-o, bate-lhe, não lhe dá de comer?
- Não! Quer que eu lhe seja fiel...

publicado por Ubicikrista às 04:45

mais sobre nós
encontrar qualquer artigo por palavra ex: pudalari
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Dezembro 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
25
26
27
28
29

30
31


Arquivos
2018:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2017:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2016:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2015:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2014:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2013:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2012:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2011:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2010:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2009:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


favorito
blogs SAPO